UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 17h42

Exterior afeta, mas previsão de fluxo reduz alta do dólar

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar fechou em leve alta diante do real nesta quinta-feira, acompanhando a valorização da moeda no mercado externo. A perspectiva de ingresso de recursos nas próximas semanas, porém, limitou a subida da divisa no Brasil.

O dólar terminou o dia a 1,792 real, com variação positiva de 0,11 por cento. No mês, porém, o dólar ainda tem queda de 0,83 por cento.

No exterior, o dólar subia 0,8 por cento ante uma cesta com as principais moedas no final da tarde. O euro era uma das divisas que mais perdia valor ante a moeda dos Estados Unidos, com declínio de 0,9 por cento, a 1,3569 dólar.

Entre os motivos para a queda do euro estavam os comentários do presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, após a instituição manter os juros em 1 por cento ao ano conforme esperado.

Ele reiterou que as taxas devem continuar baixas por um longo período. Isso ofuscou o efeito positivo que a emissão de um bônus de 10 anos pela Grécia, com grande demanda, havia provocado pela manhã sobre a moeda comum da região.

Mas a alta da moeda norte-americana foi bem mais amena no Brasil, onde o mercado prevê uma maior concentração no ingresso de recursos por causa do aumento dos embarques da safra agrícola e, principalmente, de uma série de ofertas de ações.

"Só a (oferta da) OSX tem 10 bilhões (de reais). Pode ter gente que está se antecipando e vendendo (dólares)", disse Carlos Allievi Jr., gestor da Infinity Asset.

Além da OSX, o mercado aguarda para as próximas semanas as ofertas de ações de BR Properties, com volume máximo de 1,7 bilhão de reais, Gafisa, com estimativa de até 1,1 bilhão de reais, e Renova Energia, com giro de até 867,9 milhões de reais.

"O mercado aproveitou um estresse (durante a sessão) e já apareceu bastante vendedor", acrescentou o operador de câmbio de uma corretora em São Paulo, que preferiu não ser citado.

Os estrangeiros, por exemplo, têm sido bastante atuantes na venda de dólares no mercado futuro. Na véspera, eles reduziram suas posições compradas nos mercados de dólar futuro e cupom cambial a 1,257 bilhão de dólares, menor patamar desde novembro. Essas posições indicam uma aposta na alta do dólar.

Para sexta-feira, o mercado aguarda o relatório do governo dos Estados Unidos sobre o emprego em fevereiro. A retomada do mercado de trabalho é considerada o principal gatilho para o início de um ciclo de aperto monetário pelo Federal Reserve.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host