UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/03/2010 - 15h36

Pão de Açúcar prevê vendas 15% maiores neste ano

Por Vivian Pereira

SÃO PAULO, 4 de março (Reuters) - Com base no bom comportamento das vendas nos dois primeiros meses deste ano, o Grupo Pão de Açúcar, maior varejista do Brasil, espera um aumento perto de 15% nas vendas de 2010 com base nas lojas abertas há pelo menos um ano.


A previsão foi feita nesta quinta-feira pelo atual vice-presidente de operações e futuro presidente-executivo da empresa, Enéas Pestana. Na terça-feira, no anúncio do desempenho do grupo no quarto trimestre, o executivo comentou que as vendas no primeiro bimestre apresentaram "um bom desempenho", mas evitou dar números.

"Pretendemos crescer próximo de 15% em vendas mesmas lojas este ano", afirmou o Pestana em teleconferência com analistas. No ano passado, as vendas do Pão de Açúcar nesse conceito aumentaram 10%.

"Esta ainda não é uma previsão oficial, mas vamos crescer mais do que os concorrentes", ressaltou o presidente do conselho de administração do grupo, Abilio Diniz.

De acordo com Diniz, a perspectiva para 2010 é de que o ritmo de crescimento do grupo se mantenha acelerado, embora em um nível menor em relação ao ano passado.

Essa expansão, segundo ele, se dará de forma orgânica e por meio de aquisições. "Mas aquisição a gente não anuncia, comunica", disse.

Questionado sobre a demora para que sejam anunciadas as informações do processo de integração entre Globex (Ponto Frio), Casas Bahia e Grupo Pão de Açúcar, Pestana adiantou que os detalhes da captura de sinergias serão conhecidos até o final de abril.

"As duas empresas estão indo bem e não há pressão para acelerar o processo. Mesmo tomando mais tempo do que gostaríamos, vamos agir no tempo certo para não perder valor", afirmou ele, acrescentando que, no primeiro momento, será feita a junção entre Casas Bahia e Globex para que depois sejam capturadas as sinergias pelo Pão de Açúcar.

Além da integração do grupo no segmento de não-alimentos, a companhia reforçou que vai priorizar a expansão no varejo de alimentos.

Segundo Diniz, os investimento da ordem de 5 bilhões de reais, previstos para os próximos três anos, ficarão concentrados na abertura de novas lojas Assaí e Extra Fácil.

"O Extra Hipermercados também vai estar no foco, mas vai crescer por conversão das bandeiras Sendas e CompreBem", afirmou. 

(Edição de Alberto Alerigi Jr.)
 
 

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host