UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/03/2010 - 15h35

Emprego industrial de SP sobe em fevereiro pelo 6o mês

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) - A recuperação da economia brasileira permitiu que o emprego na indústria paulista tivesse o melhor mês de fevereiro desde 2006, registrando a sexta alta mensal consecutiva e o ritmo mais forte desde novembro do ano passado.

O índice subiu 0,81 por cento em fevereiro ante janeiro, segundo dados com ajuste sazonal, com a abertura de 23 mil vagas, informou a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) nesta quinta-feira.

Sem ajuste sazonal, houve alta de 1,07 por cento em fevereiro. No ano, o nível de emprego na indústria do Estado acumula avanço de 1,58 por cento, com 34 mil contratações.

"Estamos em uma velocidade (de recuperação) que se compara à dos anos de 2007 e 2008", disse o diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos da Fiesp, Paulo Francini.

"(Foi um) bom resultado. Isso mostra que estamos numa trajetória afinada de crescimento do emprego e em linha com a recuperação econômica", acrescentou.

Dos 22 setores pesquisados, 17 tiveram contratações, 3 relataram demissões e 2 informaram estabilidade do emprego.

A principal alta em termos percentuais no mês passado ocorreu no setor de Couro e fabricação de artefatos, artigos para viagem e calçados, com variação positiva de 3,5 por cento sobre janeiro, seguido por Produtos alimentícios, com avanço 3,1 por cento.

Entre as demissões, destacou-se o setor de Bebidas, com queda no nível de emprego de 0,7 por cento.

Em números absolutos, os destaques positivos foram de Produtos Alimentícios, com 8.042 vagas abertas, e Produtos de borracha e de material plástico, com 3.056. Por outro lado, o segmento de Bebidas registrou 232 demissões, pior desempenho entre os setores pesquisados.

Pouco menos de um terço da alta sem ajuste sazonal de 1,07 por cento no mês passado corresponde à criação de empregos no ramo sucroalcooleiro, que registrou 7.089 contratações. A explicação para isso, de acordo com Francini, vem do fato de as usinas terem antecipado o início de suas operações para a safra.

Ele afirmou também que as causas para o crescimento do emprego nesse setor estão ligadas a questões tecnológicas.

"O ideal para a usina é aumentar o máximo possível sua produtividade. Isso provoca um aumento da geração de empregos, algo que em geral (nesse setor) costuma acontecer apenas em março", lembrou.

PREVISÕES

A Fiesp estima um crescimento de 6,2 por cento no emprego industrial em 2010, o que corresponde a um número de vagas abertas entre 130 mil e 140 mil.

"Teremos (em 2010) uma recuperação bastante positiva do emprego industrial", disse Francini.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host