UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/03/2010 - 18h49

Light devolverá R$ 3 mi a clientes no Rio sem energia em janeiro

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Light terá que devolver nas contas de abril 2,975 milhões de reais aos consumidores no Rio de Janeiro que tiveram problemas de abastecimento de energia em janeiro, dentro da nova regra da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que substituiu as multas pelo ressarcimento aos clientes.

Em sua primeira entrevista coletiva como presidente da distribuidora fluminense, o engenheiro carioca Jerson Kelman, ex-xerife do setor no comando da Aneel por quatro anos, assumiu a culpa da empresa por problemas enfrentados pelos consumidores neste verão e prometeu investimentos para evitar que se repitam no próximo ano.

"A Light tem responsabilidade e vamos enfrentar as dificuldades, para isso vamos dar atenção especial à rede subterrânea, que precisa de mais cuidado", admitiu Kelman, que tomou posse no início de março substituindo Luiz Álqueres.

Kelman não soube informar os valores referentes ao ressarcimento dos meses de fevereiro e março, mas avaliou que a partir de abril a tendência é de que a temperatura recue e o consumo seja reduzido, dando tempo para que novos investimentos sejam feitos.

"Com certeza (os investimentos) serão maiores do que vinham sendo feitos, apesar de a Light vir aumentando os investimentos nos últimos anos", explicou Kelman, que ainda está discutindo o orçamento de 2010.

Ele informou que na rede de distribuição os investimentos pularam de 276 milhões em 2007 para 456 milhões no ano seguinte, valor repetido em 2009. Para 2010, a previsão é de uma cifra maior.

"Já havia um esforço de aumentar o investimento, mas ainda não está bom. A nossa mensagem é de que vamos aumentar tanto na manutenção como na rede subterrânea", disse.

Segundo Kelman, haverá uma mudança na gestão da rede subterrânea, "hoje feita por equipes que não se comunicam", e a substituição de bóias de cobre por fibra, para evitar roubos. Além disso, as tampas de acesso à essas redes serão lacradas.

Kelman informou ainda que pretende propor à Aneel que a multa aplicada no ano passado por interrupções de fornecimento de energia em novembro e dezembro, no valor de 9,5 milhões de reais (antes da mudança das regras), também seja trocada por benefício de 12 milhões de reais para o consumidor.

"Nossa proposta é pagar mais do que o valor da multa, mas que isso seja revertido para o consumidor", disse Kelman.

(Por Denise Luna; Edição de Cesar Bianconi)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host