UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/03/2010 - 10h09

Ministros da Opep mantêm metas de produção--delegado

Por Amena Bakr e Alex Lawler

VIENA (Reuters) - Os ministros da Opep concordaram em não alterar as metas de produção que já estão excedendo, disse à Reuters um delegado do grupo na quarta-feira, já que a demanda deve aumentar mais tarde no ano.

Entretanto, de acordo com o ministro de Minas e Energia da Argélia, Chakib Khelil, o grupo não discutiu uma maior adesão às cotas de produção. O nível de produção determinado em dezembro de 2008 foi de manter a oferta em 24,84 milhões de barris por dia (bpd).

"A boa demanda, a oferta confiável, belos preços -- estamos muito felizes", disse o ministro do Petróleo da Arábia Saudita, Ali al-Naimi, pouco antes de entrar na reunião.

Os futuros do petróleo eram negociados acima de 82 dólares por barril -- dentro da faixa que os maiores exportadores da Opep consideram como atraente tanto para consumidores quanto para produtores, apesar do excesso de produção da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep).

Uma recuperação na economia global no ano passado e a alta dos preços encorajaram os membros da Opep a produzir mais petróleo e em fevereiro eles cumpriram apenas 53 por cento dos cortes prometidos de 4,2 milhões de bpd.

A Arábia Saudita, maior produtor da Opep, está produzindo cerca de 8,1 milhões de bpd -- mais de duas vezes a produção de seu competidor mais próximo no grupo, o Irã, mas muito mais perto de sua meta do que muitos outros.

Naimi disse esperar que a demanda mundial por petróleo no segundo semestre do ano cresça "cerca de um milhão de barris" por dia, acrescentando achar que o crescimento virá principalmente da Ásia.

Os ministros da Opep também disseram que não deve haver necessidade de qualquer reunião extra do grupo neste ano, sendo que o próximo encontro regular está marcado para setembro.

A Opep também vai se reunir em Quito na segunda ou terceira semana de dezembro.

Para um gráfico mostrando a relação entre os cortes de produção da Opep e o preço do petróleo, clique em: http://graphics.thomsonreuters.com/310/OIL_OPCOM0310.gif

(Reportagem adicional de Simon Webb, Alejandro Barbajosa, Joe Brock e Syliva Westhall)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host