UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/03/2010 - 13h38

Cemig tem lucro 76% maior no 4o tri e estável no ano

SÃO PAULO (Reuters) - A Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) teve lucro líquido de 434 milhões de reais nos três últimos meses de 2009, valor 76,4 por cento maior do que o apurado um ano antes.

O resultado ficou em linha com as estimativas de quatro analistas do setor de energia consultados pela Reuters. Em média, eles esperavam lucro líquido de 444,1 milhões de reais.

A companhia teve lucro anual de 1,86 bilhão de reais, praticamente estável em relação ao ganho de 1,89 bilhão de reais de 2008.

"Esse patamar de resultados é reflexo da execução da estratégia do nosso Plano Diretor, refletindo o acerto do crescimento via aquisições e novos projetos, superando um ano de crise", disse a Cemig, em comunicado.

A geração de caixa medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) totalizou 1,1 bilhão de reais no quarto trimestre, alta de 16,6 por cento ante os três últimos meses de 2008. Analistas previam Ebitda trimestral de 1,096 bilhão de reais para a Cemig.

No ano, o Ebitda se manteve em cerca de 4 bilhões de reais, com margem de 35 por cento, "positivamente impactada pela nossa política de manutenção de elevados níveis de gestão dos ativos e eficiência operacional".

A Cemig teve receita líquida de 3,37 bilhões de reais no quarto trimestre, ante 2,75 bilhões de reais nos três últimos meses de 2008. A previsão média dos quatro analistas consultados pela Reuters era de receita de 3,1 bilhões de reais.

No ano, a receita líquido foi de 11,7 bilhões de reais, aumento de 7 por cento.

A empresa apurou um crescimento de 7 por cento no fornecimento de energia elétrica total no quarto trimestre em relação ao mesmo período de 2008, para 16,21 gigawatts/hora, mas o fornecimento para a indústria, principal consumidora da companhia, caiu 16 por cento na mesma comparação, para 5,89 GWh.

No acumulado de 2009, o fornecimento bruto de energia total subiu 1,9 por cento, 60,9 gigawatts/hora.

DISTRIBUIÇÃO ESTÁVEL EM 2009

No segmento de distribuição, as vendas para os consumidores finais atingiram 22.332 GWh em 2009, estáveis em relação a 2008 (22.259 GWh). O segmento residencial respondeu por 35 por cento do consumo da distribuidora do ano passado, enquanto o industrial e comercial responderam, cada um, por 21 por cento. O segmento rural teve 10 por cento, enquanto "outros" respondeu pelos 13 por cento restantes.

"O mercado já apresenta boas perspectivas para o ano de 2010 em virtude da expectativa de crescimento do PIB e do consequente retorno no nível de atividade da classe industrial", segundo a Cemig.

Já no segmento de geração e transmissão de energia, a Cemig apurou vendas de 34.267 GWh no ano passado, crescimento de 4,4 por cento ante 2008. As vendas para os consumidores finais, entretanto, recuaram 16,04 por cento em 2009, para 16.423 GWh.

Para a companhia, a queda "foi mais do que suplantada pela energia vendida através do suprimento a concessionárias, que se elevou em aproximadamente 30,72 por cento em relação a 2008".

A Cemig terminou dezembro com 4,43 bilhões de reais em caixa, acima dos 2,28 bilhões de reais no final de 2008.

As ações da Cemig operavam em leve alta de 0,30 por cento às 12h37, a 29,96 reais. No mesmo instante, o Ibovespa cedia 0,07 por cento.

(Por Carolina Marcondes; Reportagem adicional de Alberto Alerigi Jr.)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host