UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

24/03/2010 - 16h57

Vendas de casas novas nos EUA caem em fevereiro

Por Lucia Mutikani

WASHINGTON (Reuters) - As vendas de novas moradias nos Estados Unidos caíram em fevereiro pelo quarto mês e atingiram mínima recorde, mas o aumento nas encomendas de bens duráveis sinalizou confiança de que a recuperação da economia está em curso.

Os dados divergentes desta quarta-feira ressaltaram que, embora o crescimento continue, a lentidão em mercados como o imobiliário e o de trabalho está no caminho de uma retomada mais forte.

"A economia continua numa recuperação de lenta a moderada. Não vejo uma recaída no mercado imobiliário, não agora", disse Nick Kalivas, vice-presidente de pesquisa financeira da MF Global, em Chicago.

As vendas de casas recuaram 2,2 por cento, para uma taxa anual de 308 mil unidades, informou o Departamento de Comércio, surpreendendo os mercados, que esperavam que as vendas chegassem a 320 mil unidades.

Num segundo relatório, o departamento afirmou que as novas encomendas de bens duráveis aumentaram 0,5 por cento em fevereiro, na terceira alta mensal seguida, enquanto os dados de janeiro foram revisados para cima, mostrando avanço de 3,9 por cento.

A expectativa de analistas era de que as encomendas tivessem alta de 0,7 por cento no mês passado, ante avanço anterior de 2,6 por cento.

Os números sobre o mercado imobiliário vieram após um relatório na terça-feira mostrando que as vendas de casas usadas cederam pelo terceiro mês consecutivo em fevereiro.

Analistas disseram que as nevascas que atingiram algumas regiões dos Estados Unidos no mês passado contribuíram para a queda nas vendas de novas moradias, mas reconheceram que a tendência no setor continua fraca.

As vendas de moradias responderam timidamente à extensão de incentivos fiscais, que impulsionaram as compras no segundo semestre de 2009. Isso tem levantado preocupações com a frágil retomada do mercado imobiliário exatamente porque um pilar crucial de apoio está sendo retirado.

O Federal Reserve encerrará as compras de ativos lastreados em hipotecas na próxima semana, que reduziram os custos de financiamentos imobiliários a mínimas recordes e ajudaram o segmento imobiliário a emergir de uma recessão de três anos.

(Reportagem adicional de Julie Haviv em Nova York)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host