UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/04/2010 - 17h31

Advent considera alternativas a IPO no Brasil em 2010

Por Guillermo Parra-Bernal

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A gestora de fundos de private equity Advent International afirmou nesta segunda-feira que está "cautelosa" com os níveis de preço das empresas no Brasil e com a volatilidade crescente, que deve prejudicar as ofertas iniciais de ações no país.

A empresa está considerando alternativas aos IPOs para sair de alguns investimentos, como vender papéis em colocações privadas a grupos de investidores, disse Patrice Etlin, chefe das operações da Advent no Brasil.

A Advent levantou 1,65 bilhão de dólares para um fundo que dedicará metade de seus recursos ao Brasil, segundo Etlin.

"Nossa perspectiva em relação ao Brasil é de cautela, especialmente em se tratando de preços", disse em entrevista à Reuters. "Prevemos uma série de eventos em que o risco de volatilidade é alto".

Os comentários de Etlin refletem os temores sobre o impacto dos crescentes custos de empréstimos e o crescente déficit em conta corrente que, junto com os riscos associados às eleições de outubro, podem pressionar os mercados financeiros ao longo do ano.

A empresa deve buscar alternativas ao mercado de ações para realizar o desinvestimento, uma vez que os excesso de ofertas de ações e a incerteza em relação à capitalização da Petrobras está diminuindo o interesse e prejudicando acordos.

A Advent considera vender sua participação na unidade de restaurantes International Meal Company Holdings a um grupo de investidores privados tanto domésticos quanto estrangeiros para evitar o mercado de IPOs, acrescentou o executivo sem dar mais detalhes. A IMC desistiu de um IPO em fevereiro devido à deterioração das condições de mercado.

"Essa decisão," de desistir do IPO, "provou ser a melhor decisão que já tomamos", disse Etlin. "sabíamos que as coisas estavam ficando feias em algum momento", observou.

A Advent planeja investir entre 50 milhões e 200 milhões de dólares por investimento com o novo fundo. Etlin, que vem de uma família de financistas reconhecidos, disse que o fundo, chamado Latin America Private Equity Fund V, irá focar seus investimentos em aeroportos e empresas de serviços financeiros, além dos setores de educação e varejo.

"Dissemos aos nossos investidores que nosso foco é fazer com que as empresas-alvo cresçam através de consolidações ou do lançamento de novos produtos e plataformas", acrescentou o executivo.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host