UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

12/04/2010 - 18h44

Fundos de pensão disputarão Belo Monte

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO (Reuters) - Fundos de pensão vão participar da licitação para a construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, cujo leilão está marcado para o próximo dia 20, informou nesta segunda-feira a agência oficial de notícias do governo.

Citando uma alta autoridade da Casa Civil, a Agência Brasil afirmou que o governo confirmou a participação dos fundos de pensão na licitação "para equilibrar a disputa entre os consórcios".

Na semana passada, as construtoras Odebrecht e Camargo Corrêa desistiram de participar do negócio citando ausência de condições econômico-financeiras.

Até o momento, estão confirmadas as participações de Andrade Gutierrez, Neoenergia, Votorantim e Vale.

O fundo de pensão Petros, principalmente formado por empregados da Petrobras, confirmou à Reuters nesta segunda-feira interesse em participar do leilão, mas divulgou que ainda não tem uma decisão sobre o assunto e que só vai entrar se houver certeza do retorno do investimento.

Enquanto isso a Funcef, dos funcionários da Caixa Econômica Federal, também mostrou interesse em participar, mas "ainda não existe posicionamento".

A Previ, dos funcionários do Banco do Brasil, maior fundo de pensão do país, "continua na posição de sempre", segundo a assessoria.

"Vai participar por meio da Vale e da Neoenergia", explicou um assessor, referindo-se às empresas que atenderam ao chamado da Eletrobras para formar um consórcio e nas quais a Previ tem participação.

Também confirmaram interesse na construção da usina as empresas Queiroz Galvão e OAS.

A usina de Belo Monte, alvo de críticas de ambientalistas, será a terceira maior hidrelétrica do mundo, com capacidade de produção de 11.200 megawatts.

O projeto é orçado em 19 bilhões de reais. O prazo limite para inscrição dos consórcios é no próximo dia 14.

(Por Alberto Alerigi Jr. e Denise Luna)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host