UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

28/04/2010 - 17h55

Dólar cai a R$1,753 em meio a recuperação do euro

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar retornou ao patamar de 1,75 real nesta quarta-feira, fechando com baixa de 0,68 por cento após uma sessão instável por causa da crise da dívida em alguns países europeus.

A moeda norte-americana terminou a 1,753 real e devolveu boa parte da alta de 1,09 por cento registrada na véspera. Na terça-feira, a agência de classificação de risco Standard & Poor's passou a ver a Grécia como um investimento "especulativo", de alto risco.

No mês, o dólar tem queda de 1,57 por cento. No ano, alta de 0,57 por cento.

O mercado de câmbio passou o dia atento à Europa. A moeda local se recuperava após atingir o menor valor em um ano, a 1,3116 dólar, por causa dos problemas na Grécia.

A decisão da S&P nesta quarta-feira de reduzir a nota da Espanha, para "AA" (dentro do grau de investimento), chegou a provocar uma breve queda do euro, anulando a queda do dólar no Brasil.

Mas, no fim da tarde, a decisão do Federal Reserve de manter o juro básico dos Estados Unidos em nível extremamente baixo como esperado ajudou a acalmar o ambiente. O euro voltou a subir e as bolsas voltaram ao território positivo.

"O foco mundial está na Europa", disse Marcelo Oliveira, operador de câmbio da corretora BGC Liquidez. "A Grécia não é mais novidade, mas... a dúvida era o nível de contaminação em relação ao bloco", acrescentou, em referência à redução da nota da Espanha e também de Portugal, na terça-feira, o que aumentou a volatilidade do mercado.

A incerteza tem mantido os investidores mais cautelosos, sem assumir apostas muito arriscadas. O dólar, por exemplo, tem orbitado em torno de 1,75 real há quase três semanas.

Oliveira, porém, ressaltou que os estrangeiros já começaram a rolar as posições vendidas no mercado futuro para o próximo mês, o que pode sinalizar confiança na continuidade da queda da moeda norte-americana apesar da incerteza global.

Até terça-feira, os investidores não-residentes exibiam 4,177 bilhões de dólares em posições vendidas em dólar nos mercados futuro e de cupom cambial. No fim do mês passado, as posições eram compradas em 1,216 bilhão de dólares.

O mercado soube ainda nesta sessão que o país teve quase 1 bilhão de dólares em fluxo positivo na semana passada, reduzindo as saídas líquidas do país no mês a somente 9 milhões de dólares, de acordo com o Banco Central.

Segundo profissionais de mercado, a provável alta do juro básico brasileiro nesta quarta-feira pelo Comitê de Política Monetária (Copom) deve aumentar a atratividade do país ao capital estrangeiro.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host