UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

26/05/2010 - 19h13

Estrangeiros entram forte, e Ibovespa retoma 60 mil pontos

Por Aluísio Alves

SÃO PAULO (Reuters) - A bolsa paulista resistiu à virada para baixo em Wall Street nesta quarta-feira e, fortalecida pela alta de commodities e um salto de última hora das ações da BM&FBovespa, subiu pela primeira vez em três sessões.

No fim, o Ibovespa, principal índice acionário do Brasil, avançou 1,7 por cento, aos 60.190 pontos. O giro financeiro da sessão, de 9,87 bilhões de reais, ficou bem acima da média diária em 2010.

"Alguns bancos estrangeiros entraram comprando com força no final", disse o operador de uma corretora em São Paulo, sob condição de anonimato. "Teve alguma coisa a ver com a nova carteira do MSCI e hoje era o último dia para fazer o ajuste", complementou.

A maior parte das compras no apagar das luzes do pregão veio de corretoras estrangeiras, com destaque para JPMorgan, Morgan Stanley e Merrill Lynch.

O MSCI é o nome de um índice que reúne a indicação do Morgan Stanley para as ações com perspectivas de maior valorização. A carteira é revisada de tempos em tempos e, na última, a ação da BM&FBovespa foi um dos ativos que ganhou peso na carteira teórica. Assim, grandes fundos de renda varíavel que têm o índice como benchmark devem ajustar-se às mudanças no portfólio.

BM&FBovespa deu um salto de 11,1 por cento, para 12,20 reais. Na ponta contrária, o papel preferencial da Vale, que chegou a subir na primeira parte da sessão, virou e caiu 1,47 por cento, a 39,61 reais. A nova composição do MSCI indica uma fatia menor das ações da mineradora.

No mais, o Ibovespa foi fortalecido por movimentos pontuais, como a alta de 1,9 por cento da ação preferencial da Petrobras, a 27,05 reais. Além da alta do petróleo, o papel beneficiou-se do anúncio de que a companhia descobriu duas reservas de petróleo na bacia de Campos.

O setor financeiro também contribuiu com o Ibovespa, sob a batuta de Itaú Unibanco, que avançou 3,4 por cento, a 33,19 reais. Pela manhã, a Itaúsa informou que pagará 903,6 milhões de dólares para comprar a fatia que o Bank of America detém no banco brasileiro.

Diante dessa combinação, a virada para baixo de Wall Street, em meio a novas preocupações com a zona do euro, com a notícia de que a China está revisando a posição em bônus da região por causa da preocupação com os déficits de países como Grécia e Portugal, ficou em segundo plano.

Mais cedo, os índices acionários globais vinham em alta, após dados melhores do que as expectativas da economia dos Estados Unidos. As vendas de moradias novas e as encomendas de bens duráveis no país aumentaram mais que o esperado em abril.

(Edição de Cesar Bianconi)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host