UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

01/06/2010 - 15h18

Setor manufatureiro e construção avançam nos EUA

WASHINGTON, 1o de junho (Reuters) - O setor manufatureiro dos Estados Unidos cresceu em maio pelo décimo mês consecutivo, ainda que em um ritmo mais lento, enquanto o gasto com construção registrou o maior ganho em quase 10 anos em abril, indicando força na recuperação econômica.

Os relatórios desta terça-feira são os mais recentes dados a sugerir que a economia norte-americana continua no caminho certo, apesar da crise de dívida que ameaça o crescimento da zona do euro.

O índice de atividade fabril do Instituto de Gestão de Fornecimento (ISM, na sigla em inglês) caiu para 59,7 em abril, de 60,4 no mês anterior, mas ficou acima das expectativas do mercado, que previa queda do índice para 59 pontos. Uma leitura acima de 50 indica expansão no setor.

O gasto com construção nos EUA aumentou 2,7 por cento --o maior avanço desde agosto de 2000--, após alta de 0,4 por cento em março. Os mercados esperavam uma leitura estável.

"Pelo menos por enquanto, os problemas da Europa não parecem ter descarrilado a recuperação norte-americana", disse Paul Ashworth, economista sênior da Capital Economics em Toronto.

O setor manufatureiro lidera a recuperação do país da pior recessão desde a década de 1930, mas, com a melhora no mercado de trabalho, os consumidores também estão começando a participar da retomada.

A medida do emprego na indústria manufatureira no mês passado subiu para o maior nível em seis anos, o que favorece o relatório oficial sobre o emprego em maio.

Uma pesquisa da Reuters prevê que o relatório a ser divulgado na sexta-feira mostre geração de 513 mil postos de trabalho, depois da criação de 290 mil empregos em abril, ainda que metade dos ganhos venha da contratação para o censo de 2010.

ENCOMENDAS AUMENTAM

"Um indicador que corrobora a força da retomada do setor manufatureiro é o fato de os participantes da pesquisa do ISM estarem tão otimistas sobre o crescimento de empregos, em um setor que não é conhecido pela criação de emprego", disse Daniel Meckstroth, economista-chefe da Manufacturers Alliance/MAPI em Arlington, Virgínia.

"Os dutos de fornecimento estão se enchendo com encomendas e as empresas manufatureiras estão adicionando funcionários de forma relutante, e não por necessidade."

Em abril, o gasto com construção nos EUA subiu em vários segmentos. O investimento em construção privada cresceu 2,9 por cento, o maior aumento desde julho de 2004, após declinar 0,5 por cento em março, disse o Departamento do Comércio.

Foi a primeira vez desde outubro que o gasto com construção privada aumentou. O impulso veio da alta de 4,4 por cento na construção de moradias, o maior ganho em seis meses.

A atividade de construção de moradias ganhou força nos últimos meses, em resposta à proximidade da expiração de um crédito tributário do governo a compradores de imóveis. É esperada uma calmaria para os próximos meses.

O gasto com construções não-residenciais subiu 1,7 por cento, o maior aumento desde setembro de 2008, após cair 0,9 por cento no mês anterior.

O gasto público com construção cresceu 2,4 por cento em abril, a maior alta em 14 meses, após o aumento de 2 por cento do mês anterior.

O investimento governamental em projetos de construção subiu 2,3 por cento em abril, o maior ganho em pouco mais de um ano, após avançar 2,1 por cento no mês anterior.

A construção federal avançou 2,9 por cento, após o aumento de 0,4 por cento em março. O gasto do governo central dos EUA com projetos de construção sobe pelo quarto mês seguido agora.

(Reportagem de Lucia Mutikani e Steven C. Johnson)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host