UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/06/2010 - 14h04

Chineses ficam fora de leilão de linhas de transmissão

Por Carolina Marcondes

SÃO PAULO (Reuters) - A divulgação da lista de participantes do leilão de linhas de transmissão de energia que acontece na sexta-feira confirmou a expectativa de presença estatal, mas surpreendeu alguns especialistas pela ausência de chineses e participação de espanhóis.

Serão licitadas quatro linhas de transmissão com 708 quilômetros e 11 subestações. Os investimentos previstos são da ordem de 700 milhões de reais.

Na manhã desta quinta-feira, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) divulgou que o leilão terá participação de 19 empresas do Brasil e de origem espanhola, além de um consórcio formado por três empreendedores.

Entre as companhias brasileiras estão Eletronorte, Chesf e Furnas, subsidiárias da estatal Eletrobras.

Ainda entre as brasileiras estão empresas como Alupar, Copel, Desenvix e Transmissora Aliança de Energia Elétrica (da Cemig).

Já entre as de origem espanhola estão Abengoa, Cobra Instalaciones e Serviços, Elecnor e Isolux.

O único consórcio inscrito foi o Atlântico, formado por Telecomunicações e Serviços de Engenharia Ltda, ARM Energia e Serviços de Engenharia e Construção e Manutenção Electromecânica (CME).

Em maio, a estatal chinesa State Grid anunciou a compra no Brasil de sete das 12 empresas da Plena Transmissoras. Após o lance, alguns especialistas acreditavam que os chineses poderiam entrar já neste leilão de linhas de transmissão, e de forma agressiva.

"É uma surpresa a ausência dos chineses, mas acredito que eles devem ter avaliado as condições e concluído que era melhor esperar mais um pouco", afirmou o diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), Adriano Pires.

A relevante presença dos espanhóis também foi uma surpresa. A Espanha passa por problemas fiscais e analistas acreditavam que empresas já presentes no Brasil optassem por ficar de fora da licitação desta vez.

"O que aconteceu, entretanto, é que justamente por conta da crise na Espanha essas empresas decidiram participar do leilão. Elas querem investir em um lugar seguro e ter bons ativos para vender em caso de futura necessidade", observou Pires.

A Aneel não informou para quais lotes os proponentes deverão fazer ofertas. Os empreendimentos estão localizados em São Paulo, Rio Grande do Sul, Pará, Maranhão, Mato Grosso, Alagoas e Bahia.

O diretor do CBIE acredita que o destaque entre as empresas privadas participantes será a Transmissão Paulista, que deverá fazer boa oferta pela linha Araraquara-Taubaté. A linha permitirá o escoamento da energia proveniente das usinas do Complexo Hidrelétrico do Rio Madeira (Jirau e Santo Antônio) aos principais centros de carga do Sudeste.

"Contudo, no geral, o leilão será dominado pelas estatais, que vão ganhar grande parte dos lotes", apostou Pires.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host