UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

25/06/2010 - 18h56

BC sobe compulsório e compensa ajuste em crédito rural

BRASÍLIA (Reuters) - O Banco Central anunciou nesta sexta-feira uma elevação do recolhimento compulsório sobre depósitos à vista de 42 por cento para 43 por cento a partir de julho.

A mudança elevará em 1,6 bilhão de reais o recolhimento desse compulsório e compensará a redução, já anunciada, da parcela dos depósitos que os bancos são obrigados a direcionar ao crédito rural.

Sem o ajuste, os bancos teriam mais recursos para emprestar ao setor não-agrícola a partir de julho, o que poderia contribuir para um aquecimento da economia, na contramão do que quer o BC. Preocupado com o ritmo da atividade, a autoridade monetária elevou a taxa básica de juros Selic em 1,5 ponto percentual desde abril.

"O BC está dando liquidez de um lado, do outro teve que tirar", afirmou o economista Alexandre Andrade, da Tendências Consultoria. "Existe uma certa preocupação com o crescimento do crédito, então o BC está fazendo isso para contrabalançar."

O BC informou que a alíquota do compulsório sobre depósitos à vista será elevada novamente em julho de 2012, para 44 por cento, e em julho de 2014, para 45 por cento --na mesma proporção da redução prevista da exigibilidade de direcionamento para crédito rural.

"A partir de 1o de julho de 2010, a exigibilidade de aplicação em crédito rural passará dos atuais 30 por cento dos depósitos a vista para 29 por cento, sendo reduzida, a partir daí, um ponto percentual a cada ano, até 1o de julho de 2014, quando atingirá 25 por cento", afirmou o BC em comunicado.

O aumento da parcela de recursos que deveriam ir para o crédito rural foi anunciada em meio à crise global --de 25 por cento para 30 por cento-- para dar mais liquidez ao setor agrícola. A redução gradual dessa exigibilidade já estava prevista em resolução de março de 2009.

(Por Isabel Versiani; reportagem adicional de Luciana Lopez)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host