UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

16/07/2010 - 14h48

Alta do IGP-10 desacelera mais que o esperado, a 0,05%

SÃO PAULO/RIO DE JANEIRO, 16 de julho (Reuters) - A inflação pelo Índice Geral de Preços-10 (IGP-10) desacelerou mais que o esperado em julho, devido à diminuição das pressões no atacado e na construção e a uma maior queda dos custos no varejo.

O indicador teve variação positiva de 0,05 por cento em julho, a menor variação do ano, ante alta de 1,30 por cento em junho, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nesta sexta-feira.

Analistas ouvidos pela Reuters previam uma leitura de 0,27 por cento, segundo a mediana de 10 respostas que ficaram entre 0,15 e 0,48 por cento.

"Os principais responsáveis pela desaceleração do IGP-10 foram itens com preços internacionais. Avalio que o resultado é reflexo da economia mundial", disse o economista da FGV Salomão Quadros.

"Quando se tem a percepção de que o crescimento vai ser menor, produtos como metais, fertilizantes e derivados tem cotações menores."

Segundo a FGV, os bens intermediários, segmento bem associado a movimentos internacionais, passaram de alta de 0,84 para 0,09 por cento.

"O movimento dos intermediários, que são insumos para muitos industriais, é importante porque ao longo de todo o primeiro semestre subiram e havia aquela preocupação com repasse de preços", acrescentou o economista da FGV.

O IGP-10 também foi aliviado pelo menor impacto da alta do minério de ferro, que passou de 51,84 para menos 0,54 por cento.

Quadros alertou que a baixa variação de julho não é sustentável. "Este é um patamar momentâneo... Acho que será um período de taxas oscilantes."

COMPONENTES

O Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) teve leve avanço de 0,02 por cento em julho, após aumento de 1,68 por cento em junho.

O IPA agrícola subiu 0,15 por cento nesta leitura, após baixa de 0,04 por cento na anterior. O IPA industrial caiu 0,01 por cento, ante avanço de 2,23 por cento no mês passado.

As maiores quedas individuais de preços no atacado foram de batata-inglesa, leite in natura, tomate, açúcar cristal e açúcar VHP.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) caiu 0,17 por cento em julho, ante variação negativa de 0,01 por cento em junho.

Os custos de Alimentação declinaram 1 por cento, ante baixa anterior de 1,05 por cento. Os preços de Habitação e Vestuário desaceleraram fortemente a alta, para, respectivamente, 0,17 e 0,14 por cento.

Os principais recuos individuais de preços no varejo foram bem similares às do atacado: batata-inglesa, leite longa vida, tomate, açúcar refinado e cebola.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) avançou 0,72 por cento em julho, abaixo da alta de 2,01 por cento de junho.

O arrefecimento partiu do item mão de obra, com elevação de 0,78 por cento agora, ante 3,30 por cento em junho, quando foi pressionado pelos dissídios salariais da categoria.

No ano, o IGP-10 acumula alta de 5,60 por cento e nos últimos 12 meses, de 5,44 por cento.

(Reportagem de Vanessa Stelzer e Rodrigo Viga Gaier)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host