UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

20/07/2010 - 13h31

Azul reforça operação com aviões turboélice, espera IPO até 2012

SÃO PAULO (Reuters) - A quarta maior companhia aérea do país, Azul, anunciou nesta terça-feira que passará a operar no segundo semestre de 2011 com aviões turboélice da francesa ATR, que reforçarão o modelo adotado pela empresa fundada em 2008 de operar com jatos regionais da Embraer.

A companhia comprou 20 aviões modelo ATR 72-600 e tem opções de compra de mais 20 unidades em um contrato de cerca de US$ 850 milhões, incluindo as opções. Cada aparelho será configurado para 70 passageiros.

Com os aparelhos, a empresa passará a captar passageiros de localidades próximas a seus principais centros de operação, que incluem o aeroporto de Viracopos, em Campinas (SP).

"Vamos atender com esses aviões um raio da até 800 quilômetros de nossos hubs, que são regiões que estão atravessando por um verdadeiro boom econômico", afirmou o presidente-executivo da Azul, Pedro Janot. "Os ATRs vão funcionar com um conceito de alimentadores para nossos Embraer", acrescentou o executivo.

Conforme o presidente, na operação dos ATRs, a Azul pretende utilizar aeroportos atualmente pouco movimentados, sejam eles operados pela Infraero, Estado, ou prefeituras, que normalmente possuem pistas de pousos menores, mais compatíveis com o modelo.

A companhia tem atualmente uma frota de 18 aviões Embraer e deverá encerrar o ano com 26 aeronaves. Com a fabricante brasileira de aviões, a companhia aérea tem 41 pedidos firmes, além de opções e direitos de compra para outras 40 aeronaves.

A Azul atende 22 cidades do país e até o final do ano vai aumentar a malha para mais 4 cidades distribuídas pelas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, disse Janot, evitando dar detalhes sobre destinos ou preços, mas citando como exemplos as cidades de Criciúma (SC) e Passo Fundo (RS).

No primeiro semestre deste ano, a companhia assumiu uma participação de 5,43% do mercado de aviação brasileiro, quase o dobro dos 2,81% de um ano antes. A rival mais próxima é a WebJet, que ficou com fatia de 6,24%, ante 4% nos primeiros seis meses de 2009.

O presidente da Azul comentou que a empresa vislumbra fazer uma abertura de capital com oferta de ações (IPO) entre 2011 e 2012, mas que a prioridade por hora é reforçar a geração de caixa, que será impulsionada pelos ATRs. Segundo Janot, o custo por passageiro desses aviões é baixo e os novos aparelhos vão ajudar a diluir os custos fixos da companhia.

Ele afirmou ainda que a Azul deve encerrar 2010 com um lucro anual pela primeira vez.

(Por Alberto Alerigi Jr.; Edição de Carolina Marcondes)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host