UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

04/08/2010 - 17h49

Dólar fica quase estável ante real com atuação de estrangeiros

Por Silvio Cascione

SÃO PAULO (Reuters) - O dólar encerrou praticamente estável frente ao real nesta quarta-feira, com o predomínio das compras no mercado futuro por investidores estrangeiros compensando a tendência de queda diante de dados positivos nos Estados Unidos.

A moeda norte-americana teve oscilação negativa de 0,11 por cento, a 1,758 real.

Dados da clearing (câmara de compensação) da BM&FBovespa indicavam, perto do fechamento, volume parcial de 1,8 bilhão de dólares --abaixo da média diária de 2,6 bilhões de dólares no ano.

O dólar começou em baixa, refletindo indicadores melhores que o esperado sobre o setor de serviços e o emprego no setor privado nos EUA . Pouco depois, porém, a atuação de estrangeiros na compra de dólar futuro equilibrou a cotação da moeda até o fim do dia.

De acordo com o operador de uma corretora nacional, que preferiu não ser identificado, as compras se concentraram no fim da manhã, pegando na contramão tesourarias de bancos interessadas em trabalhar por uma taxa de referência (Ptax) mais baixa.

Os investidores estrangeiros já têm comprado mais do que vendido no mercado futuro há uma semana e meia, diminuindo as posições vendidas na BM&FBovespa de 8,5 bilhões de dólares no dia 26 de julho para 6,2 bilhões de dólares na última terça-feira.

"(O estrangeiro) vem diminuindo um pouco a posição vendida, até pelo nível em que o dólar está agora. Desde que o Banco Central fez aquela pesquisa de demanda por swap (cambial reverso), o mercado ficou com um pé atrás", disse o operador de outra corretora local, especializada em atender clientes estrangeiros, mas que também não quis ser citado.

Moacir Marcos Júnior, operador da corretora Interbolsa e especialista em hedge, comentou que, além dos estrangeiros, exportadores locais também desfizeram parte das posições vendidas. "Estou achando que tem pouco para ganhar vendendo (dólar) nesse preço."

Apesar da expectativa por uma intervenção do Banco Central por meio de um swap cambial reverso, dados sobre o fluxo cambial mostraram que a probabilidade de um leilão pode ter diminuído após o ingresso de 3 bilhões de dólares no país na semana passada, em termos líquidos.

As posições vendidas dos bancos no mercado à vista, que vinham subindo e pressionavam o cupom cambial, diminuíram de 12,950 bilhões de dólares no dia 22 para 10,003 bilhões de dólares na virada do mês.

Com isso, a taxa local de juro de curto prazo, para outubro, mantinha-se abaixo de 2 por cento, apesar de uma alta nesta quarta-feira.

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host