UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

05/08/2010 - 14h07

Playboy tem queda maior que esperado no 2º trimestre

  • Hugh Hefner, fundador da 'Playboy' é beijado por duas modelos da revista

    Hugh Hefner, fundador da 'Playboy' é beijado por duas modelos da revista

(Reuters) 5 de agosto - A Playboy Enterprises divulgou nesta quinta-feira uma perda trimestral maior que a esperada porque os lucros no segmento da mídia impressa e digital continuaram a cair.

Para o segundo trimestre, a perda foi de US$ 5,4 milhões, ou US$ 0,16 por ação, contra US$ 8,7 milhões, ou US$ 0,26 por ação, um ano antes.

A companhia de entretenimento para adultos, que é alvo de interesse do fundador Hugh Hefner e da proprietária da revista rival Penthouse, a FriendFinder Networks, teve queda de 10% no faturamento, que passou a US$ 56 milhões.

Os analistas esperavam uma perda de 15 centavos por ação sobre vendas de US$ 58 milhões, segundo a Thomson Reuters.

Os lucros no segmento impresso e digital caíram cerca de 45%, para US$ 20,9 milhões. A empresa espera que o segmento volte a um "modesto ganho na segunda metade de 2010."

O lucro por licenças subiu 24%, para US$ 12,4 milhões durante o segundo trimestre. A empresa fechou acordos de licenças com fabricantes de vestimentas, cassinos e clubes para compensar a queda em rendimento da publicidade impressa.

No início da semana, a companhia disse que seu diretor havia criado um comitê especial para examinar uma proposta de seu fundador, Hugh Hefner, para remover a empresa do mercado acionário.

Depois que Hefner propôs adquirir a Playboy a US$ 5,50 por ação, o proprietário da revista Penthouse ofereceu pagar US$ 6,25 por ação pela companhia.

As ações da Playboy perderam 0,18% às 15h07 (12h07, horário de Brasília), a US$ 5,39.

(Reportagem de Mansi Dutta)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host