UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/08/2010 - 00h06

Mudanças fiscais e contábeis derrubam lucro trimestral da B2W

SÃO PAULO, 6 de agosto (Reuters) - Efeitos fiscais sobre a receita e mudanças decorrentes da nova legislação contábil levaram a B2W a apurar um lucro líquido 67 por cento menor no segundo trimestre, atingindo 5 milhões de reais.

No demonstrativo de resultados, a dona dos sites Submarino e Americanas.com atribui os impactos negativos nos números do período à substituição tributária, em vigor desde o segundo trimestre de 2009 no Estado de São Paulo, onde se concentram as operações da companhia.

A substituição tributária implica no recolhimento antecipado do imposto no momento da compra de mercadorias, o que, segundo a B2W, afetou produtos que representam parte substancial de suas vendas totais.

"De acordo com o novo regime, o ICMS passa a ser contabilizado na linha de custo das mercadorias vendidas e não mais nas deduções de vendas, fato este que, por sua vez, implica em um aumento da receita líquida", afirma a companhia.

"No segundo trimestre, a substituição tributária foi responsável pela maior parte da diferença entre a taxa de crescimento da receita bruta e da receita líquida em relação ao ano anterior", acrescenta.

Entre abril e junho, a receita líquida consolidada da B2W alcançou 997,6 milhões de reais, crescimento de 13 por cento sobre igual intervalo em 2009. No semestre, a receita líquida atingiu 1,933 bilhão de reais, alta de 17 por cento.

LUCRO ABAIXO DO ESPERADO

O lucro líquido de 5 milhões de reais registrado pela B2W no segundo trimestre ficou abaixo da estimativa de ganho de 8 milhões de reais no período, conforme a média das previsões de cinco analistas, obtidas pela Reuters.

Nos seis primeiros meses do ano, o lucro líquido da companhia diminuiu 60,5 por cento, para 9,2 milhões de reais, impactado pelas modificações introduzidas pela nova lei contábil, especialmente no que se refere a ajuste a valor presente (AVP) das vendas a prazo.

"Vale ressaltar que o AVP no segundo trimestre teve um efeito líquido negativo de 2,5 milhões de reais, enquanto que no segundo trimestre de 2009 o efeito foi positivo em 4,8 milhões", assinala a empresa.

Excluindo o efeito do AVP no resultado, o lucro líquido trimestral foi de 7,5 milhões de reais e, no semestre, de 12,2 milhões.

A geração de caixa da empresa, medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), foi de 123,8 milhões de reais entre abril e junho, um aumento de 13 por cento sobre os 109,6 milhões de reais no mesmo período de 2009.

A margem Ebitda, por sua vez, ficou em 12,4 por cento da receita líquida e em 9,2 por cento da receita bruta.

(Por Vivian Pereira)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host