UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/08/2010 - 11h31

Lucro da Braskem cai 96% no 2º trimestre

SÃO PAULO (Reuters) - A petroquímica Braskem quase zerou seu lucro líquido do segundo trimestre, pressionada por um resultado financeiro atingido por efeitos de variação cambial, segundo balanço divulgado nesta terça-feira.

A maior petroquímica da América Latina teve lucro líquido de R$ 45 milhões, ante ganho de R$ 1,16 bilhão no segundo trimestre de 2009 (queda de 96%), que foi gerado "em função da desvalorização do dólar perante o real, com impacto positivo no resultado financeiro daquele período".

A companhia, que tem sua operação atrelada ao dólar, teve um resultado financeiro líquido negativo de R$ 575 milhões no trimestre, queda ante perda de R$ 880 milhões nos três primeiros meses do ano. Um ano antes, o resultado foi positivo em R$ 1,38 bilhão, ajudando a impulsionar o lucro.

Segundo a empresa, as despesas com variação cambial de abril a junho somaram R$ 171 milhões ante ganho de R$ 1,99 bilhão um ano antes.

A Braskem afirmou que após a conclusão da compra da Quattor, em abril deste ano, antecipou o pagamento de dívidas, geradas principalmente pela empresa comprada, de R$ 4,1 bilhões, o que permitiu ao grupo ampliar o prazo médio da dívida total de 6,6 para 8,2 anos.

A geração de caixa operacional medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização) totalizou R$ 1,04 bilhão, contra R$ 566 milhões registrados entre abril e junho do ano passado. A margem passou de 15,3% para 16% no período.

A receita líquida somou R$ 6,516 bilhões no segundo trimestre, avanço de 77% na comparação anual. Considerando os números da Quattor como incorporados no resultado do ano passado, a receita líquida do grupo foi de R$ 6,54 bilhões no trimestre, crescimento de 31% em relação ao obtido um ano antes.

Enquanto isso, o custo de produtos vendidos apresentou avanço de 76% em termos consolidados e de 27% em base pro forma.

Em termos de volume, a Braskem teve vendas totais de 1,24 milhão de toneladas de resinas termoplásticas, queda de 11% sobre o segundo trimestre de 2009, com as vendas ao mercado externo caindo 27% e ao mercado interno subindo 1%.

"O cenário da economia e da petroquímica internacional requer atenção, seja em razão do agravamento da crise nos países desenvolvidos ou pela ligeira desaceleração da economia chinesa", afirma no balanço o presidente da Braskem, Bernardo Gradin.

A Braskem produziu 1,32 milhão de toneladas de resinas no trimestre passado, praticamente estável em relação ao volume produzido um ano antes.

(Por Alberto Alerigi Jr.)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host