UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

10/08/2010 - 19h12

Wall Street se recupera após Fed, mas ainda fecha em baixa

Por Ryan Vlastelica

NOVA YORK (Reuters) - As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em baixa nesta terça-feira, mas conseguiram escapar das mínimas do dia após o Federal Reserve anunciar novas medidas para estimular o crescimento do país.

O índice Dow Jones, que caía cerca de 100 pontos antes do anúncio do Fed, chegou a ficar positivo por algum tempo. O mercado, no entanto, também não se sustentou em alta diante da avaliação pessimista que o Fed fez sobre a economia.

O índice Dow Jones, referência da bolsa de Nova York, recuou 0,51 por cento, para 10.644 pontos. O termômetro de tecnologia Nasdaq caiu 1,24 por cento, para 2.277 pontos. O índice Standard & Poor's 500 teve desvalorização de 0,6 por cento, para 1.121 pontos.

O Comitê Federal de Mercado Aberto do Fed (Fomc, na sigla em inglês) afirmou em comunicado após a reunião que vai direcionar os recursos obtidos com ativos hipotecários em vencimento para a compra de mais dívida pública.

A resposta pouco entusiasmada do mercado sugeriu que os investidores não acreditam em um impacto imediato das medidas do Fed sobre o mercado de trabalho e os gastos dos consumidores, dois pontos que têm freado a economia.

"O Fed está em um ponto onde ele não sabe direito o que fazer, então ele andou só meio caminho", disse Michael O'Rourke, estrategista-chefe de mercado do BTIG LLC, em Nova York. "Foi uma medida de segurança, que provavelmente ele só tomou para atender às expectativas do mercado".

As ações que subiram pertencem a setores defensivos, que tendem a ter um desempenho mais satisfatório em cenários de fraqueza econômica, como saúde e serviços públicos.

"Os investidores estão dizendo que talvez seja mais seguro ou mais lucrativo diminuir um pouco a exposição de risco, mas não muito", disse Doug Roberts, estrategista-chefe de investimento da Channel Capital Research.com, em New Jersey.

Todos os três principais índices tinham baixa de mais de 1 por cento antes do comunicado do Fed, com o S&P abaixo da média móvel de 200 dias por algum tempo.

A evidência de que o rápido crescimento da China está desacelerando também pesou sobre o mercado --dados mais fracos que o esperado sobre as importações no país asiático pressionaram as ações de commodities e energia.

(Reportagem adicional de Leah Schnurr)

Hospedagem: UOL Host