UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

11/08/2010 - 20h56

Lucro da CPFL supera estimativas no 2o trimestre

SÃO PAULO (Reuters) - O lucro líquido da CPFL Energia superou as estimativas do mercado no segundo trimestre de 2010, mesmo com uma receita operacional líquida praticamente estável em relação aos mesmos meses de 2009.

O crescimento do consumo de energia na área de concessão beneficiou a companhia, que atua principalmente no interior de São Paulo. O lucro foi de 384 milhões de reais, alta de 33 por cento em relação aos 289 milhões registrados no ano passado.

O lucro da CPFL ficou acima das estimativas de seis analistas consultados pela Reuters, que previam, em média, que o resultado fosse de 367,2 milhões de reais.

No acumulado do primeiro semestre do ano, a companhia obteve lucro líquido de 774 milhões de reais, alta de 35,5 por cento em comparação aos seis primeiros meses do ano anterior.

No segundo trimestre de 2010, as vendas de energia na área de concessão da CPFL cresceram 10,1 por cento, chegando a 13.051 gigawatts-hora (GWh). As vendas para o mercado cativo corresponderam a 9.761 GWh.

"No mercado cativo, destacam-se os crescimentos das classes residencial, industrial e comercial que, juntas, representam 81,9 por cento do total consumido pelos clientes cativos das distribuidoras do grupo", diz a companhia.

O consumo de energia da classe industrial subiu 6,5 por cento, para 2.941 GWh, impulsionado pela recuperação da atividade industrial e pela fraca base de comparação de 2009, época da crise financeira internacional.

O consumo residencial cresceu 6,2 por cento, enquanto o comercial teve incremento de 6,5 por cento.

"Os efeitos acumulados do crescimento econômico (aumento da renda e do emprego, do acesso ao crédito e das vendas de eletrônicos e de eletrodomésticos e das vendas no comércio varejista) verificado nos últimos anos fizeram com que essas classes mantivessem o consumo elevado no segundo trimestre."

As vendas de energia no mercado livre, entretanto, totalizaram 2.420 GWh, uma redução de 5 por cento, devido principalmente à redução das vendas por meio de contratos bilaterais de curto prazo, vigentes em 2009.

A geração de caixa operacional medida pelo Ebitda (sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos depreciação e amortização) também superou as estimativas.

Enquanto os analistas previam 785,4 milhões de reais, o resultado foi de 793 milhões de reais, crescimento de 14,8 por cento ante o segundo trimestre de 2009. No ano, a geração de caixa subiu 18,7 por cento, para 1,6 bilhão de reais.

A receita operacional líquida, por sua vez, recuou 0,3 por cento, chegando a 2,6 bilhões entre abril e junho. As estimativas davam conta de uma receita de 2,7 bilhões. No acumulado do ano, a receita é de 5,4 bilhões de reais, avanço de 7,8 por cento.

A CPFL Energia registrou ainda aumento de 11,8 por cento na dívida financeira, para 7,87 bilhões de reais. A relação entre dívida líquida e Ebitda ficou em 2,13 vezes no fim do segundo trimestre.

(Reportagem de Carolina Marcondes)

Hospedagem: UOL Host