UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

17/08/2010 - 13h55

Eletrobras compra energia livre de Belo Monte para financiamento

SÃO PAULO (Reuters) - A Eletrobras confirmou nesta terça-feira que garantiu a compra da energia destinada ao mercado livre da usina hidrelétrica de Belo Monte como forma de garantir que sejam fechados os contratos de financiamento para a obra.

As definições sobre o financiamento para a usina localizada no rio Xingu (PA), que deverá entrar em operação no final de 2014, poderão ser divulgadas ainda em agosto, segundo o diretor financeiro e de Relações com Investidores da Eletrobras, Armando Casado.

"A gente realmente já garantiu a compra de energia... É uma operação normal e pretendemos colocar essa energia no mercado", afirmou o executivo em teleconferência com analistas sobre o resultado da Eletrobras do segundo trimestre de 2010.

A Eletrobras faz parte do consórcio Norte Energia, que venceu o leilão da concessão de Belo Monte em 20 de abril com uma tarifa de 78 reais por megawatt-hora (MWh), deságio de 6 por cento ante o teto estipulado pelo governo de 83 reais.

A Eletrobras possui 18 sócios e ainda existe a possibilidade da entrada de novos parceiros no consórcio. A holding Eletrobras e suas controladas Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf) e Eletronorte têm juntas 49,98 por cento do grupo Norte Energia.

LEILÕES

A Eletrobras estará presente em leilões futuros de geração de energia, garantiu Casado, como o de fontes alternativas e de reserva previstos para o final de agosto.

"A nossa estratégia de investimento é participar da agregação física do mercado, participando (dos leilões) em toda a extensão. Em todos os leilões, participamos de praticamente todos os lotes", disse o diretor de Relações com Investidores da companhia.

Segundo ele, a empresa não venceu em nenhum dos lotes do último leilão de geração, em 30 de junho, porque "o leilão não cobriu nosso custo de capital próprio, não remuneraria o acionista".

A Eletrobras fez uma avaliação interna, disse Casado, para as usinas de Colíder (MT) e Ferreira Gomes (AP). "Mas as usinas não chegavam ao custo do capital que a gente vende (energia) para o mercado", disse.

A Copel ficou com a usina de Colíder, enquanto a Alupar venceu para Ferreira Gomes. A Triunfo, por sua vez, venceu o leilão para a hidrelétrica de Garibaldi (SC).

(Por Carolina Marcondes)

Hospedagem: UOL Host