UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

19/08/2010 - 21h03

Estudo aponta aumento da concentração na produção de soja em MT

SÃO PAULO (Reuters) - Grandes grupos agrícolas nacionais e estrangeiros mais do que dobraram o tamanho da área plantada com soja em Mato Grosso nos últimos cinco anos, apontou um estudo divulgado nesta quinta-feira pelo Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária (Imea).

Os 20 maiores grupos produtores cultivaram 1,2 milhão de hectares de soja na safra 2009/10, ante 533,7 mil hectares na safra 2004/05. Ou aumento foi de 130 por cento.

Os grupos responderam juntos por 20 por cento de toda a soja plantada em Mato Grosso, cuja área foi estimada em 6,2 milhões de hectares em 2009/10.

Há cinco anos, os maiores grupos detinham 9 por cento da produção em uma área de pouco mais de 6,1 milhões de hectares.

Para o presidente da Famato (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso), Rui Prado, "o alto grau de endividamento rural que não permite que o produtor matogrossense se mantenha na atividade e o alto custo de produção" colaboram para a concentração no Estado, com condições precárias de logística para o escoamento da safra, o que afeta a rentabilidade do agricultor.

Ele ponderou, em comunicado, que a concentração da produção é algo que ocorre em todo o mundo, embora seja mais acentuada em Mato Grosso.

De acordo com o Imea, o instituto de análises da Famato, a escala de produção é determinante para a margem de lucro, elevando o poder de barganha do produtor tanto para a venda do produto quanto para a obtenção de descontos na compra de insumos e maquinários.

Grandes propriedades com grandes plantações também levam vantagem econômica com a redução do custo de produção, segundo o Imea.

(Texto de Roberto Samora)

Hospedagem: UOL Host