UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

14/09/2010 - 12h15

Baosteel aumenta em 8% preços de aço para outubro

Por Ruby Lian e Tom Miles

XANGAI (Reuters) - A siderúrgica chinesa Baoshan Iron & Steel aumentou em 8 por cento os preços de aço para outubro depois que medidas do governo para fechar usinas menores ajudaram a restringir a oferta no maior mercado consumidor de aço do mundo.

A companhia, também conhecida como Baosteel, vai aumentar os preços de bobinas a quente em 8 por cento ou 300 iuans por tonelada, para 4.142 iuans (612,8 dólares) por tonelada e aumentar os preços de bobinas a frio em 110 a 200 iuans por tonelada.

A Baosteel é a maior siderúrgica com ações em bolsa da China e líder do setor no país em negociações de preços, definindo referência para outras grandes usinas como Wuhan Steel e Angang.

A companhia também vai aumentar os preços de bobinas galvanizadas em 260 iuans por tonelada e de placas pesadas em 150 iuans por tonelada. Preços de aço para aplicações elétricas serão aumentados entre 350 e 380 iuans por tonelada, acrescentou a companhia.

Os aumentos para outubro já eram esperados depois que a empresa manteve valores em setembro.

"Vemos isso como resultado de recuperação da demanda e oferta racionalizada", disseram analistas do Citigroup em relatório.

Alguns analistas tinham sugerido que a Baosteel iria também remover alguns descontos para aproveitar o crescente mercado doméstico.

Como maior produtora e consumidora de aço do mundo, a China está enfrentando reclamações de outros países que a acusam de despejar produtos siderúrgicos no mercado internacional por meio de oferta de incentivos fiscais.

Na segunda-feira, o Departamento de Comércio dos Estados Unidos finalizou cálculos para tarifas alfandegárias de compensação de até 53,65 por cento e tarifas anti-dumping de até 98,74 por cento sobre importações de tubulações sem emendas da China, usadas principalmente pela indústria petrolífera.

Em agosto, a China produziu 69,7 milhões de toneladas de produtos siderúrgicos, mas as exportações líquidas foram de apenas 1,45 milhão de toneladas, queda ante as 4,15 milhões de toneladas em junho.

Hospedagem: UOL Host