UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

02/01/2009 - 18h44

Bovespa dispara mais de 7% e começa 2009 acima dos 40 mil pontos

SÃO PAULO - O ano começa de forma bastante positiva para a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). Com destaque para as empresas de commodities e os bancos, o índice retomou os 40 mil pontos. Em território positivo desde o começo dos negócios, o Ibovespa fechou a sexta-feira com alta de 7,17%, aos 40.244 pontos - maior patamar desde 4 de novembro. Mas o giro financeiro foi reduzido, somando apenas R$ 2,21 bilhões. Com o ganho de hoje, o índice fecha a semana com valorização de 9,17%.

O sócio da M2 Investimentos Henning Sandtfoss aponta alguns motivos para esse começo de ano otimista na Bovespa. O primeiro deles é o péssimo fechamento de 2008, com o índice perdendo 41,22%, pior resultado desde 1972. Outra questão é que o mercado brasileiro tinha uma defasagem com relação a Wall Street, que operou na quarta-feira, dia 31 de dezembro, apresentando variação positiva. Fora isso, as bolsas norte-americanas seguem em alta, com ganhos superiores a 2,7% tanto para o Dow Jones e para o Nasdaq. Sandtfoss também aponta que parte do otimismo também está apoiado em novas medidas de estimulo econômico tomadas na Ásia. A Índia voltou a cortar a taxa de juros e a China estuda um plano de estímulo para montadoras e siderúrgicas. No entanto, o especialista avalia que o ganho de hoje não se mostra sustentável no longo prazo, sinal claro disso é o baixo volume negociado. " Tem muita euforia de primeiro dia útil. É pouco volume para muita alta. " Para Sandtfoss, é prematuro dizer que o mercado vai engrenar uma tendência de alta, mas o cenário está um pouco mais tranqüilo e 2009 deve ser um ano de recuperação.

O ponto importante da valorização de hoje, segundo o especialista, é que a Bovespa começa a semana que vem, quando mais investidores retornam ao mercado, com tom positivo. No âmbito corporativo, o setor de commodities refletiu as notícias vinhas da Ásia e teve forte valorização. Destaque para as ações da PN da Petrobras, que subiram 7,44%, para R$ 24,54. Os papéis acentuaram a alta depois que o barril de petróleo recuperou as perdas e fechou em alta, na faixa dos US$ 46. Com o segundo maior volume do dia, Vale PNA teve valorização de 9,66%, para R$ 26,20, e o ON ganhou 10,14%, encerrando a R$ 30,50. Entre as siderúrgicas, CSN ON aumentou 9,37%, para R$ 31,72, Usiminas PNA subiu 8,25%, para R$ 28,71, e Gerdau PN avançou 7,03%, negociada a R$ 16,12.

Alinhados aos pares internacionais, os bancos também tiveram uma sexta-feira positiva. Itaú PN teve alta de 11,03%, fechando aos R$ 28,88, seguido por Bradesco PN com ganho de 10,18%, a R$ 24,89. Já a unit do Unibanco teve aumento de 9,53% e vale R$ 16,20.

Valorização de 15,66% para o ativo ON da Embraer, que fechou negociado a R$ 10,19, e Gafisa ON subiu 11,53%, para R$ 11,70. Aracruz PNB, Bradespar PN, BM & FBovespa ON, Itaúsa PN, NET PN e Natura ON tiveram ganho superior a 8%.

Na ponta vendedora, apenas 2 dos 66 ativos do índice apresentaram variação negativa. Brasil Telecom Part ON recuou 0,73%, a R$ 58,47, e Telemar ON cedeu 0,64%, para R$ 38,45.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host