UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

05/01/2009 - 12h50

Valor de mercado de 45 companhias brasileiras caiu mais de 80% em 2008

SÃO PAULO - Estudo divulgado hoje pela consultoria Economática mostra que 45 empresas brasileiras perderam mais de 80% do seu valor de mercado durante o turbulento ano de 2008. Entre elas, o maior tombo foi registrado pela Agrenco, cujos controladores foram acusados de fraudes e desvio de dinheiro, o que acabou levando o valor da companhia a uma queda acumulada de 98,3%.

A empresa brasileira, no entanto, é somente a quinta colocada entre as 122 companhias abertas analisadas pela consultoria e que tiveram o valor de mercado reduzido em mais de 80% no ano passado. O estudo contempla um total de 1.888 empresas, sendo 1 mil dos Estados Unidos e o restante de Brasil (357), Chile (173), México (108), Peru (105), Argentina (80), Venezuela (38) e Colômbia (27).

De acordo com os dados apresentados, os quatro maiores tombos foram registrados por empresas americanas, sendo o maior deles o da Idearc, que já fechou o capital e viu seu valor de mercado encolher 99,9%. Estopim do período mais grave da crise internacional, o banco Lehman Brothers quebrou e seu valor de mercado caiu nada menos que 99,7%. Na seqüência aparecem as companhias RH Donnelley e E W Scripps, com quedas de 99% e 98,4%, respectivamente. Entre as brasileiras, após a Agrenco, a maior queda de valor de mercado foi registrada pela Laep, controladora da Parmalat no país. As ações da empresa registraram o 15º maior tombo do ranking divulgado, com baixa de 95,8%. Em seguida aparecem MMX (-95,5%), Abyara (-94,7%), Inpar (-93,5%) e Brasil Ecodiesel (-93,4%). Em termos nominais, as 45 empresas brasileiras com queda superior a 80% perderam nada menos que US$ 52 bilhões em valor de mercado, que somado recuou de US$ 59,7 bilhões para US$ 7,7 bilhões. No caso das 59 empresas americanas nas mesmas condições, a perda foi de US$ 801 bilhões. (Murillo Camarotto | Valor Online)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host