UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/07/2009 - 09h36

Julho deve começar com alta na Bovespa

SÃO PAULO - O terceiro trimestre deve começar com valorização na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A indicação vem do mercado futuro e está alinhada com o observado em outras praças de negociação. Há pouco, o Ibovespa com vencimento em agosto aumentava 0,92%, para 52.500 pontos.

Em Wall Street, os investidores tentam manter o viés positivo enquanto avaliam os dados de emprego da ADP. A empresa que processa folhas de pagamento mostrou que o setor privado americano perdeu 473 mil vagas no mês passado, mais do que o esperado. Amanhã, os agentes recebem os dados oficiais do Departamento de Trabalho.

O dia ainda reserva o índice de atividade no setor industrial, os gastos com construção, as vendas pendentes de imóveis e os estoques de petróleo e derivados.

Parte do bom humor generalizado do dia pode ser atribuída à divulgação de indicadores de atividade melhores na China, Reino Unido e zona do euro. Refletindo o maior apetite por risco, o dólar sobe contra o iene e perde para euro. As commodities ganham valor, com o barril de WTI retomando a linha dos US$ 71. Por aqui, os vendedores seguram o dólar comercial em baixa, depois de um pregão instável na terça-feira. Há pouco, a moeda americana caía 1,22%, para R$ 1,940 na venda. Na Europa, o setor de commodities puxa os ganhos em Londres, onde o FTSE-100, aumentava 1,28%. Já o Xetra-DAX, de Frankfurt, avançava 1,45%.

O pregão de terça-feira marcou o fechamento de mês e trimestre e o tom dos negócios foi dado pela queda no índice de confiança do consumidor americano. A decepção com o indicador levou os agentes a atuar na ponta vendedora em Wall Street o que também estimulou o desmanche de posições por aqui. Ao final do pregão, o Ibovespa marcava queda de 1,29%, aos 51.465 pontos, com giro financeiro em R$ 5,16 bilhões. Com tal pontuação, o índice fechou junho com queda de 3,26%. Mas tal variação negativa não ofuscou a alta de 25,75%, ou 10.540 pontos, conquistada no segundo trimestre. Esse foi o melhor resultado trimestral desde o terceiro trimestre de 2005. No ano, o ganho está em 37,06%.

Em Wall Street, as vendas também marcaram o pregão. O Dow Jones fechou com baixa de 0,97%, aos 8.447 pontos. O S & P 500 cedeu 0,85%, para 919 pontos, e o Nasdaq recuou 0,49%, a 1.835 pontos. No trimestre, o Dow Jones subiu 11%, enquanto S & P 500 e Nasdaq aumentaram 15% e 20%, respectivamente.

Na Ásia, o mês começou sem tendência definida. Tóquio caiu 0,19%, enquanto Seul aumentou 1,55%. A praça de Xangai garantiu alta de 1,65%, fechando acima dos 3 mil pontos pela primeira vez em mais de um ano.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host