UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

02/07/2009 - 08h38

OEA dá ultimato a Honduras; novo presidente resiste

SÃO PAULO - O presidente interino de Honduras, Roberto Micheletti, disse que o único modo de Manuel Zelaya voltar ao poder é por meio da invasão do país por tropas estrangeiras. Zelaya, que foi deposto por um golpe no fim de semana, adiou a anunciada volta que prometeu fazer ao país hoje, para esperar o resultado de um ultimato dado pela Organização dos Estados Americanos (OEA) a seu favor.

O Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) anunciou o corte dos fundos de ajuda ao país até que ele volte " à democracia " .

Um Micheletti dasafiador, entretanto, disse em entrevista a uma agência de notícias que " ninguém pode forçá-lo a renunciar " . Ele afirmou ainda que, caso retorne, Zelaya será preso ao desembarcar.

" Ele já cometeu crimes contra a Constituição e as leis de Honduras " , afirmou Micheletti, que antes era presidente do Congresso e é membro do Partido Liberal, o mesmo do presidente deposto. Uma das cláusulas pétreas da Constituição hondurenha diz que o mandato do presidente é de quatro anos, não podendo o ocupante do cargo concorrer à reeleição. O mandato de Zelaya termina no fim do ano e críticos o acusam de querer aprovar, por meio de referendo, uma reforma constitucional para poder se reeleger. Ele nega essa intenção.

(Valor Econômico, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host