UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/09/2009 - 12h50

Bovespa reverte e cai 0,81%; dólar ainda opera em baixa

SÃO PAULO - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não defende os ganhos registrados na parte da manhã e volta a oscilar em território negativo nesta terça-feira. Por volta das 12h40, o Ibovespa recuava 0,81%, para 56.034 pontos, com giro financeiro em R$ 2,25 bilhões.

A virada de humor na bolsa brasileira segue a movimentação do mercado americano, onde o Dow Jones mudou de lado e passou a registrar queda de 1,87%. O S & P 500 e o Nasdaq perdiam 1,53% e 1,63%, na ordem.

Segundo o assessor de investimento da InTrader, Renato Tavares, a pressão vendedora fala mais algo do que os bons indicadores econômicos do dia. Os índices testaram as máximas seguindo a divulgação do índice de atividade no setor industrial americano, que surpreendeu ao subir de 48,9 em julho para 52,9 em agosto. Vale lembrar que leituras acima de 50 pontos sugerem crescimento da atividade, algo que não era registrado desde janeiro de 2008. Ainda de acordo Tavares, como os indicadores vêm surpreendendo de forma positiva já faz algum tempo, acabou aquela onde de surpresa que levava à montagem de novas posições compradas. Para o especialista, o mercado põe em prática o discurso que vinha fazendo há algum tempo sobre a necessidade de uma realização de lucros em função do forte rali de alta dos últimos meses.

" É uma realização de lucros sadia e essas quedas acabam facilitando a entrada de novos investidores no mercado " , explicou Tavares, ressaltando que mantém sua perspectiva positiva para o mercado brasileiro, com Ibovespa na casa dos 60 mil pontos. No lado corporativo, os papéis PN da Petrobras defendem alta, tentando recuperar parte das perdas acentuadas de ontem, quando o mercado recebeu o novo modelo de exploração e muitas dúvidas foram levantadas, entre elas qual será o tamanho do aporte de capital que o governo fará na estatal. Há pouco, o papel PN registrava acréscimo de 0,38%, para R$ 31,50. Em direção contrária, a ação ON perdia 1,22%, a R$ 37,07.

Com o segundo maior volume do dia, o ativo PNA da Vale registrava baixa de 0,91%, a R$ 32,60, depois de ser negociado a R$ 33,30 na máxima da manhã. Bancos de siderúrgicas também mudaram de lado. Itaú Unibanco PN caía 1,37%, a R$ 31,52, e Usiminas PNA perdia 0,56%, a R$ 44,05. Destoando, Banco do Brasil ON subia 1,10%, a R$ 26,45.

Na ponta compradora, Gol PN liderava os ganhos, com alta de 3,74%, a R$ 18,00. De caráter mais defensivo, Comgás PNA subia 1,48%, a R$ 34,20, e Eletropaulo PNB valorizava 1,14%, a R$ 35,37.

As construtoras continuam na ponta vendedora. Cyrela ON recuava 4,39%, a R$ 22,65. Rossi ON diminuía 3,26%, a R$ 11,57. Fora do índice, PDG Realty ON afundava 7,50%, a R$ 25,62. A companhia entrou com pedido de registro de oferta primária de 56 milhões de ações.

Já no mercado de câmbio, as vendas continuam, mas a virada de rumo nas bolsas tirou força de tal movimento. Depois de cair a R$ 1,867, o dólar comercial era negociado a R$ 1,885 na venda. Ainda assim, verificava baixa de 0,26%. No mercado futuro, o dólar para outubro subia 0,07%, a R$ 1,891.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host