UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

01/09/2009 - 18h36

Fibria quer reduzir alavancagem para investir em expansão

SÃO PAULO - A Fibria, empresa resultante da união entre Votorantim Celulose e Papel (VCP) e Aracruz, terá que reduzir substancialmente a relação entre dívida líquida e a geração de caixa para se colocar em uma condição confortável no que diz respeito a implementação de projetos de expansão e retomada do grau de investimento.

De acordo com o diretor de tesouraria e relações com investidores da Fibria, Marcos Grodetzky, uma dívida líquida três vezes maior que o Ebitda é vista como confortável para um investimento representativo em expansão da capacidade. Este nível, segundo ele, também é considerado pelas agências de classificação de risco para análise de eventual concessão de grau de investimento. Ao final de junho deste ano, no entanto, a dívida líquida combinada de VCP e Aracruz somava R$ 13,4 bilhões, valor 7,27 vezes maior que a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de impostos, juros, amortizações e depreciações) dos 12 meses encerrados em junho, que marcou R$ 1,842 bilhão. O executivo informou que projeções de analistas apontam que a relação dívida/Ebitda da Fibria deve fechar este ano em 7,7 vezes e 2010 em 5,2 vezes. Boa parte da dívida líquida da empresa é composta pelas perdas da Aracruz com operações de derivativos cambiais e pela própria operação pela qual foi adquirida pela VCP. Apesar de admitir que classificar a alavancagem atual da empresa como confortável é "um pouco de exagero", Grodetzky ressaltou os fundamentos "excepcionais" da Fibria, especialmente no que tange à sua capacidade de geração de caixa. Diante disso, a empresa coloca o potencial de geração de caixa como a principal ferramenta para a redução da relação dívida/Ebitda. Já a estratégia para a amortização do passivo ainda não foi concluída, mas Grodetzky adiantou que o alongamento dos prazos está entre as opções mais prováveis. Segundo ele, a dívida da Fibria tem, hoje, prazo médio de vencimento de cerca de 40 meses. (Murillo Camarotto | Valor Online)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host