UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

04/09/2009 - 08h46

FMI pede permanência de medidas de estímulo até desemprego recuar

SÃO PAULO - O diretor-gerente do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, avaliou que as medidas de estímulo econômico adotadas para combater a crise global devem ser retiradas apenas quando a recuperação da economia ganhar fôlego e o desemprego recuar.

Ao mesmo tempo que reconheceu que a economia global parece emergir da pior crise financeira e global do período pós-guerra, Strauss-Kahn enfatizou que a recuperação será lenta. "Estou preocupado com os custos econômicos e sociais do alto desemprego, que irá persistir mesmo se os mercados financeiros e a produção estabilizarem", avisou em discurso em Berlim nesta sexta-feira.

Devido à fragilidade da recuperação da economia, o representante do Fundo alertou que os formuladores de política monetária devem "errar do lado da cautela ao decidirem quando sair das políticas de resposta à crise". Strauss-Kahn alertou, no entanto, que os governos devem desenvolver suas estratégias de saída agora para que sejam capazes de conseguir apoio público e agir quando o momento for apropriado.

Ele sublinhou que a coordenação de política internacional foi uma parte essencial para reagir à crise e que "a coordenação de estratégias de saída também será importante".

O dirigente do FMI considerou três áreas para garantir a recuperação sustentável: identificar novas fontes de crescimento, reformar o setor financeiro e fortalecer o sistema monetário internacional.

(Valor Online)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host