UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

09/09/2009 - 17h15

Análise: Dólar sobe, reafirmando suporte em R$ 1,820

SÃO PAULO - O comportamento da taxa de câmbio nesta quarta-feira reforçou a ideia de que o nível de R$ 1,820 funciona como piso do movimento de baixa. O patamar foi furado pela manhã, desencadeando compras no período da tarde mesmo em um ambiente de alta no preço das commodities e desvalorização global da divisa americana.

Depois de cair a R$ 1,819 na mínima do dia, o dólar comercial encerrou a jornada com alta de 0,49%, a R$ 1,834 na compra e R$ 1,836 na venda. Na roda de "pronto" da Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F), a divisa subiu 0,55%, para fechar, também, a R$ 1,836. O volume na bolsa ficou em US$ 197,75 milhões, 87% maior que o registrado ontem. No interbancário os negócios somaram US$ 1,15 bilhão.

Segundo o gerente de operações da Terra Futuros, Arnaldo Puccinelli, a linha de R$ 1,82 representa um forte suporte, pois é um "campo" que já foi testado algumas vezes, mas não ultrapassado de forma consistente.

Na avaliação do especialista, quando a moeda chega perto desse preço, os compradores voltam a atuar, principalmente, quem conseguiu vender moeda na casa de R$ 1,90 cerca de dez dias atrás.

No entanto, o especialista também não enxerga muito espaço para moeda acima de R$ 1,85 / R$ 1,87, que representa um importante ponto de venda.

A questão, segundo o gerente, é que tanto no câmbio quanto em outros ativos, como ações, o mercado segue em um ponto de indefinição. Não há mais estímulo para formação de apostas grandes contra o dólar, nem motivo para correção acentuada de preços.

No câmbio, mais especificamente, Puccinelli nota que o mercado está bastante tumultuado, com muitas conversas em torno da adoção/criação de uma nova moeda para as transações internacionais e notícias apontando que a China vende dólares de suas reservas e monta posições em ouro.

(Eduardo Campos | Valor Online)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host