UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

14/09/2009 - 17h16

Farmacêutica Eli Lilly vai demitir 5,5 mil, para economizar US$ 1 bi

SÃO PAULO - Para enfrentar o momento recessivo e a expiração das patentes, a farmacêutica americana Eli Lilly anunciou hoje que vai demitir 5,5 mil funcionários, como parte de um programa de corte de custos. Segundo nota divulgada pela companhia, o corte de vagas se completará em 2011 e representa cerca de 14% do quadro de 40,5 mil funcionários da empresa. O plano de reestruturação de custos da Lilly envolve a economia de US$ 1 bilhão, para enfrentar os "obstáculos sem precedentes" com os quais a indústria farmacêutica se depara, segundo afirmou o executivo-chefe da companhia John Lechleiter, em nota. Dentre os desafios do setor, o executivo citou o atraso das inovações, aumento dos custos, expiração de patentes e a competição crescente com os medicamentos genéricos, além da reforma do sistema de saúde norte-americano, a ser promovida pelo presidente Barack Obama. Até o fim de 2011 a droga mais vendida da Lilly, o Zyprexa, para tratamento de esquizofrenia, entre outros importantes medicamentos para a receita da empresa, passarão a concorrer com os genéricos, devido ao fim do período de garantia de patente. Além das pressões externas, "a Lilly também enfrenta seus próprios desafios", disse, a empresa em nota, sugerindo o problema da competição. A Lilly informou ainda, que implementará uma nova estrutura organizacional no início do ano que vem, nas unidades globais de negócios de oncologia, diabetes, mercados emergentes, mercados estabelecidos e a Elanco, unidade de saúde animal. No segundo trimestre, a farmacêutica acumulou lucro de US$ 1,16 bilhão, ou US$ 1,06 por ação, uma alta de 21% frente aos US$ 959 milhões, ou US$ 0,88 por ação, registrados no mesmo período do ano passado. (Vanessa Dezem | Valor Online com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host