UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

15/09/2009 - 07h59

Fusões entre empresas aquecem ações em Nova York

SÃO PAULO - As bolsas de valores dos Estados Unidos fecharam em alta diante de notícias de possíveis fusões e aquisições somadas a uma série de recentes acordos que levaram investidores a acreditar que há mais espaço para valorizações no mercado, depois de um rali de mais de 50% desde março.

O índice Dow Jones avançou 0,22%, para 9.626 pontos. O Nasdaq subiu 0,52%, para 2.091 pontos. O Standard & Poor ? s 500 ganhou 0,63%, para 1.049 pontos.

O otimismo com relação a possíveis acordos ofuscou preocupações com um atrito comercial entre Estados Unidos e China, depois que Washington impôs tarifas especiais sobre importações de pneus chineses.

Os papéis da Nextel saltaram 10,1%, depois que um jornal britânico informou que a empresa de telefonia alemã Telekom AG está considerando uma oferta para sua rival americana.

Os bancos, que se beneficiam do mercado de fusões e aquisições, estiveram entre os maiores ganhadores também, com as ações do JPMorgan Chase em alta de 2,9%, liderando o avanço no Dow Jones.

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, falando em Nova York um ano depois que o colapso do Lehman Brothers levou os mercados ao caos, pediu que as empresas financeiras não lutassem contra a reforma regulatória, mas houve pouca reação no mercado.

O principal índice das ações europeias recuou, interrompendo uma série de seis altas, com destaque para a fraqueza dos setores de bancos e energia. Uma disputa comercial entre Estados Unidos e China também pesou sobre o humor do mercado.

O índice FTSEurofirst 300 fechou em baixa de 0,30%, aos 990 pontos. O indicador acumula ganhos de 19% este ano, mas ainda registra desvalorização de quase 15% frente aos níveis de meados de setembro de 2008.

" Os mercados devem chegar à conclusão de que é uma medida protecionista. Mas eu desconfio que os mercados estão apenas buscando uma desculpa para realizar lucros " , disse Mike Lenhoff, estrategista do Brewin Dolphin, em referência à decisão do governo dos Estados Unidos de impor tarifas especiais às importações de pneus da China.

Os bancos estiveram entre as ações de pior desempenho. BNP Paribas, Deutsche Bank e Société Générale caíram entre 1,1% e 2,4%.

Em Londres, o índice Financial Times fechou em alta de 0,15%, a 5.018 pontos. O DAX, de Frankfurt, recuou 0,07%, a 5.620 pontos. Na bolsa de Paris, o CAC-40 caiu 0,11%, para 3.730 pontos. Houve queda de 00,4% em Milão.

(Valor Econômico )

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host