UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

21/09/2009 - 13h59

Santander repassa participações ao controlador e reforça provisões

SÃO PAULO - O banco Santander informou hoje que registrará uma despesa não recorrente de R$ 2,3 bilhões, antes de impostos, no resultado do terceiro trimestre. O montante decorre de aumento nas provisões para perdas com inadimplência, estimativa de gastos maiores na integração com o Banco Real e amortização de parcela dos direitos por aquisição de folha de pagamento, que atualmente estão registrados como ativo intangível.

O anúncio coincide com a informação de que o banco venderá suas participações na Visanet, Serasa, Tecban e Companhia Brasileira de Soluções e Serviços para a Santusa, empresa pertencente ao Grupo Santander com sede na Espanha. Essa venda de ativos deve gerar um ganho de capital de R$ 2,1 bilhões para a unidade brasileira do banco, antes de impostos.

Em reunião do conselho, ficou decidido ainda que o Santander deve ter como política a distribuição de 50% do seu lucro líquido ajustado anual aos acionistas, na forma de juros sobre capital próprio e dividendos.

Essa reestruturação societária e os anúncios feitos pela instituição têm a ver com a oferta pública primária de ações que a filial brasileira fará na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) em outubro.

Os termos da operação foram divulgados hoje. O banco deve levantar mais de R$ 13 bilhões com a oferta. O lote original a ser oferecido corresponde a 16,21% do capital atual da instituição, segundo comunicado distribuído pela matriz espanhola. Se forem considerados os lotes previstos para oferta complementar, porém, a captação pode passar de R$ 15 bilhões.

De acordo com aviso ao mercado publicado hoje no Brasil, serão oferecidos 525 milhões de Units - recibos representativos de 55 ações ordinárias (ON, com direito a voto) e 50 ações preferenciais (PN, sem direito a voto). O Santander estima que o preço de subscrição de cada unit ficará entre R$ 22 e R$ 25. Assim, a oferta global deve arrecadar entre R$ 11,55 bilhões e R$ 13,125 bilhões. No entanto, essa oferta pode receber um lote suplementar de 75 milhões de units e um lote adicional de mais 25 milhões de units. Dessa forma, a depender do andamento da operação e de acordo com os bancos coordenadores, a oferta final pode somar 625 milhões de units. Na hipótese de que todos esses papéis sejam subscritos a um preço na faixa estimada pelo Santander, a captação deverá ficar entre R$ 13,75 bilhões e R$ 15,625 bilhões. O preço por unit será definido em 6 de outubro e os papéis começam a ser negociados no Nível 2 da BMFBovespa em 8 de outubro. A liquidação da operação está prevista para 13 de outubro.

Os interessados terão seis dias úteis para fazer o pedido de reserva, de 28 de setembro a 5 de outubro. Uma fatia de 20% será destinada a investidores de varejo, sendo que, prioritariamente, 5% vão para funcionários e outros 10% para os clientes. O valor mínimo de investimento é de R$ 3 mil, salvo para administradores e funcionários, que poderão investir a quantia mínima de R$ 1 mil.

(Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host