UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

22/09/2009 - 18h14

Bolsas de Nova York fecham com valorização

SÃO PAULO - Os principais indicadores acionários das bolsas de Nova York fecharam em alta hoje, diante da maior confiança na retomada da economia e com previsões mais otimistas sobre o desempenho das empresas neste segundo semestre.

O índice Dow Jones subiu 0,52%, para 9.830 pontos. O Standard Poor's 500 avançou 0,66% e fechou aos 1.072 pontos, e o Nasdaq Composite, que já havia ganhado na véspera, teve alta de 0,39%, para 2.146 pontos.

Logo pela manhã, os agentes receberam a notícia de que o Banco de Desenvolvimento da Ásia (ADB, na sigla em inglês) elevou sua previsão de crescimento para a China e a Índia e avaliou que a região está liderando a recuperação global. A instituição melhorou a estimativa da China de crescimento de 7%, feita em março, para 8,2%. Para a Índia, o prognóstico subiu de 5% para 6%. A expectativa para a expansão da economia de toda a região melhorou de 3,4% para 3,9%.

Ainda nesta manhã, a Agência Imobiliária Federal de Financiamento (FHFA, na sigla em inglês) americana divulgou que os preços das casas nos EUA subiram 0,3% em julho, ante o mês anterior, a terceira alta consecutiva do indicador. No entanto, foi registrada uma queda de 4,2% nos preços na comparação anual. No âmbito corporativo, as ações da rede de lojas de departamento Macy's avançaram 5,5%, após os analistas do Citigroup terem elevado a projeção de ganhos da empresa para o ano.

Os analistas da Aberdeen Asset Management, por sua vez, destacaram em relatório a melhora de previsões de empresas do setor financeiro, de bens de consumo discricionário e de TI durante agosto.

No setor financeiro, destaque para os papéis do Bank of America, que tiveram alta de 2% após a instituição ter informado, na noite de ontem, que firmou acordo com o governo dos EUA para abrir mão de uma garantia oficial de US$ 118 bilhões em ativos que assumiu após a compra da Merrill Lynch, no início do ano.

Os agentes operaram também de olho nas expectativas em relação à definição de política monetária do Federal Reserve (Fed), o banco central americano, que será anunciada amanhã. Os investidores estão otimistas com relação à possibilidade de o Fed manter a taxa básica de juro entre zero e 0,25% ao ano, de modo a estimular a economia do país.

(Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host