UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

24/09/2009 - 12h36

População ocupada na indústria paulista tem alta recorde, mostra IBGE

RIO - A população ocupada na indústria paulista cresceu 5,8% em agosto, na comparação com julho, no maior aumento frente ao mês anterior desde o início da série histórica, em 2002. No total, o setor industrial da região metropolitana paulista contratou 106 mil pessoas em agosto, respondendo pela maior parte dos 135 mil contratados pelas indústrias das seis regiões metropolitanas analisadas pela Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). "O aumento da contratação da indústria em São Paulo aponta que o setor voltou a se aquecer após meses de queda na população ocupada. A indústria foi um dos setores mais afetados pela crise e mostra que está deixando a crise para trás", frisou Cimar Azeredo, gerente da PME.

O técnico do IBGE lembrou que movimentos de contratação pela indústria paulista costumam ser replicados nas outras regiões metropolitanas nos meses subsequentes. Em agosto, a alta da contratação em São Paulo levou a população ocupada das seis regiões metropolitanas a subir 3,9% na comparação com julho, o maior resultado para a comparação com o mês imediatamente anterior desde os 4,4% de abril de 2004.

Mas, Azeredo alertou que o resultado de agosto não foi suficiente para que a indústria recuperasse os efeitos totais da crise. No geral, a população ocupada na indústria ficou 3,4% abaixo do observado em agosto do ano passado, o equivalente a 128 mil pessoas a menos. Em São Paulo, o resultado foi menos negativo, com queda de 1,7%, ou 33 mil postos de trabalhos a menos.

Foi o quinto mês seguido de redução na população ocupada na indústria paulista na comparação com igual mês do ano anterior.

"Apesar do ótimo resultado na margem, ainda não recuperamos os níveis do ano passado na indústria", explicou Azeredo.

Na média entre janeiro e agosto, a população ocupada na indústria nas seis regiões metropolitanas analisadas pelo IBGE atingiu a média mensal de 3,485 milhões este ano, 2,5% abaixo dos 3,575 milhões de média nos oito primeiros meses do ano passado. Considerando apenas São Paulo, esta média foi de 1,823 milhão de pessoas ocupadas entre janeiro e agosto deste ano, 2,3% a menos que os 1,866 milhão de igual período de 2008.

"Temos que lembrar que a destruição de postos de trabalho é muito mais rápida que a recuperação dessas vagas", destacou Azeredo. (Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host