UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

28/09/2009 - 15h28

Acionistas do Carrefour pressionam por saída de emergentes, diz jornal

SÃO PAULO - Dois acionistas de peso da rede supermercadista francesa Carrefour estariam pressionando a direção e o conselho de administração da companhia a vender suas operações em países emergentes na América do Sul e na Ásia. A informação foi publicada hoje pelo jornal francês Le Monde, sem que as fontes fossem citadas.

Conforme a reportagem, os acionistas descontentes seriam a Colony Capital e Bernard Arnault, dono do grupo de produtos de luxo LVMH. Juntos, os dois possuem 13,5% do capital do Carrefour e estariam contrariados com a performance das ações da rede supermercadista, que caíram 30% desde que investiram na companhia, em março de 2007.

Citado na matéria, Sebastien Bazin, diretor europeu da Colony, disse que as relações com a administração do Carrefour são "excelentes" e destacou que a rede está desenvolvendo um plano de longo prazo e que tem até 2012 para mostrar os resultados.

Ao defender a venda das unidades da Ásia e América do Sul, os acionistas entendem que a companhia realizaria lucros que poderiam ser distribuídos na forma de dividendos extraordinários, segundo a reportagem. A matéria do Le Monde diz ainda que a divisão sul-americana do grupo valeria entre 3 bilhões de euros e 5 bilhões de euros, enquanto a unidade asiática estaria avaliada num intervalo de 4 bilhões de euros e 6 bilhões de euros.

(Valor, com agências internacionais)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host