UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

28/09/2009 - 13h48

Jobim diz que Brasil não buscará armas nucleares para defender pré-sal

RIO - O ministro da Defesa, Nelson Jobim, rebateu as afirmações do vice-presidente da República, José Alencar, e garantiu que o Brasil não investirá em armamento nuclear para defender os recursos do pré-sal no litoral brasileiro. Na semana passada, Alencar afirmou que tal investimento seria importante para garantir a manutenção desses recursos em mãos brasileiras, mas Jobim deixou claro que o país não tem esse objetivo, que, segundo ele, contrariaria a Constituição.

" As observações que o vice-presidente da República fez são observações que entram na sua posição especialíssima em termos de ter a manifestação das ideias próprias. Basta ver suas manifestações sobre juros " , destacou Jobim, que participou da International Nuclear Atlantic Conference (Inac), no Rio de Janeiro. "Mas o fato é que nós temos impedimentos constitucionais e não temos nenhuma pretensão", acrescentou.

Jobim também lembrou que já há na lei a previsão de destinação, para a Marinha, de parte dos royalties pagos pelas empresas que produzem petróleo no país e afirmou que qualquer discussão para aumentar essa fatia não deve ser tratada no curto prazo. "Vamos discutir no futuro, não agora", frisou.

Além de reafirmar que o programa nuclear brasileiro se destina a fins pacíficos, Jobim assegurou que o país não apoia o programa nuclear iraniano. "Não devemos aplaudir nenhum programa que passe pela proliferação de armas nucleares", disse.

(Rafael Rosas | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host