UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

29/09/2009 - 16h06

Inadimplência estaciona em agosto, revela Banco Central

BRASÍLIA - A inadimplência bancária estacionou, em agosto, no nível recorde de 5,9% verificado em julho. Apesar da expansão verificada desde outubro de 2008, "a expectativa de desaceleração está mantida para setembro ou outubro", segundo o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Altamir Lopes.

A acomodação era anunciada por Lopes há dois meses. Ele lembra que os atrasos nos empréstimos bancários cresceram em paralelo à escassez de crédito decorrente da crise financeira global, desde o último trimestre do ano passado. De outubro de 2008 a agosto deste ano, o índice de inadimplência geral cresceu 1,7 ponto percentual. Em junho deste ano, os atrasos em operações de pessoas físicas, acima de 90 dias, atingiram 8,6%, o teto desde junho de 1994. Os dados do BC, no entanto, mostram um arrefecimento no índice de atraso dos empréstimos bancários a pessoas físicas, seguindo o previsto por Lopes, em função do aumento da oferta de crédito, "e em especial do retorno do crescimento do crédito consignado, com desconto em folha de pagamentos", cuja alta mensal foi de 3,1% no mês passado. A inadimplência recuou para 8,5% em julho e para 8,4% no mês passado.

Lopes destacou ainda que algumas operações das famílias, também como o esperado, mostram recuo nos atrasos medidos entre 15 e 90 dias, "o primeiro passo para a queda da inadimplência geral".

Do lado das empresas, entretanto, a pouca oferta de crédito que persiste em bancos de pequeno porte, aliada ao aumento na procura de capital de giro para fazer face ao maior movimento mercantil de fim de ano, contribuiu para elevar a taxa de inadimplência do segmento. Subiu de 3,8% em julho para 3,9% em agosto, a mais elevada desde maio de 2001 (4,2%). (Azelma Rodrigues | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host