UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

29/09/2009 - 18h34

Petrobras fará em outubro injeção de CO2 em campos de grande produção

RIO - A Petrobras começa a operar na primeira quinzena de outubro o projeto de injeção de dióxido de carbono (CO2) no campo terrestre de Miranga, na Bahia, com o objetivo de aumentar o fator de recuperação de óleo. De acordo com a gerente executiva de engenharia de produção do setor de Exploração e Produção da Petrobras, Solange Guedes, este será o maior projeto de injeção de CO2 já implantado pela estatal.

Solange, que participou de palestra organizada pela Câmara Britânica (Britcham), afirmou que a operação em Miranga será uma preparação tecnológica para desenvolver um sistema eficiente de injeção de CO2 a ser aplicado nos campos do pré-sal. O projeto-piloto de Tupi, que começará a operar na Bacia de Santos no fim de 2010, efetuará a reinjeção do CO2 para facilitar o escoamento do óleo.

"Isso foi (desenvolvido) muito antes de acontecer o pré-sal. Será um campo de provas e já estamos planejando colocar ali todo o tipo de teste, para que a gente vá para o mar depois com tudo validado do ponto de vista de solução tecnológica", afirmou Solange, acrescentando que, em caso de sucesso, a operação com injeção de CO2 poderá ser levada para diversos outros campos da empresa.

O objetivo da companhia ao injetar CO2 nos reservatórios é aumentar a vazão dos poços. A plataforma que vai operar o piloto de Tupi, com capacidade de 100 mil barris por dia, já será equipada com uma unidade para separar o CO2 extraído do fundo do mar junto com os hidrocarbonetos e com bombas de reinjeção. "O que fica é a validação da capacidade desse sistema responder conforme o previsto", frisou Solange.

A gerente executiva disse ainda que a empresa não extrapola para todo o reservatório o resultado de um poço em Guará, no bloco BM-S-9, na Bacia de Santos, com vazão de até 50 mil barris por dia. Quanto maior a vazão de um poço, menor o custo de produção, uma vez que é necessário um número menor de poços para se alcançar determinada produção.

"Não há a menor razoabilidade em extrapolar de forma linear esse resultado. Os resultados foram fantásticos, dignos de nota, mas estamos sendo bastante criteriosos ao fazer tais previsões", destacou, lembrando que a rocha reservatório encontrada na região tem características "bastante heterogêneas".

(Rafael Rosas |Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host