UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

30/09/2009 - 15h30

Juro do consignado de aposentados cai para 2,34% ao mês

BRASÍLIA - Para seguir a trajetória de queda dos juros comandada pelo Banco Central (BC), o Conselho Nacional de Previdência Social (CNPS) reduziu hoje o teto da taxa de juros cobrada pelos bancos em empréstimos consignados com desconto em folha de pagamento de aposentados e pensionistas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O crédito teve a máxima saindo de 2,5% para 2,34% ao mês, enquanto o limite para a taxa de operações refinanciadas no cartão de crédito saiu de 3,5% para 3,36% mensais.

A redução deve ser publicada amanhã no Diário Oficial da União, de maneira a valer a partir da próxima semana. A taxa básica Selic fixada pelo BC está em 8,75% ao ano. O último ajuste aprovado pelo CNPS para o consignado dos aposentados foi em março de 2008, quando a Selic estava em 11,25% ao ano.

O secretário de Políticas de Previdência Social, Helmut Schwarzer, explicou que a medida, na verdade, é uma adequação, pois grande parte da rede bancária conveniada ao INSS já pratica taxas abaixo do teto nas operações com aposentados e pensionistas. "Estamos alinhando com o que já pratica a rede bancária", afirmou o secretário.

Segundo Schwarzer, foram registradas 726,7 mil operações de empréstimos consignados com aposentados e pensionistas do INSS em agosto último, somando R$ 1,84 bilhão, com aumento de 136% sobre igual mês de 2008. Esse aumento foi detectado pelo Banco Central, que apontou o movimento no consignado como um dos fatores que deve levar a uma retração nos níveis recordes de inadimplência bancária, gerados pela crise.

De janeiro a agosto deste ano, esses empréstimos consignados totalizaram R$ 15,2 bilhões, com aumento de 157% ante o mesmo período do ano passado. O número de operações foi de 6,7 milhões, 47,3% superior ao verificado no acumulado anterior.

Segundo a Previdência, considerando que a taxa para o rotativo do cartão de crédito dos aposentados é bem inferior à média do mercado (que vai de 7% a 15% mensais), essas operações também são limitadas.

Assim, no montante de RS$ 1,84 bilhão liberado em agosto, R$ 1,2 bilhão correspondeu a empréstimos diretos e no cartão de crédito, R$ 21,1 milhões. Nos empréstimos, a alta foi de 201,6% sobre agosto de 2008. Enquanto no cartão de crédito, o refinanciamento de saldo caiu 88,1% sobre período igual.

(Valor )

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host