UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

02/10/2009 - 20h29

Estrangeiro já deixou mais de R$ 18 bi na bolsa brasileira em 2009

SÃO PAULO - O investidor estrangeiro acentuou a compra de ações na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) no final de setembro. Com isso, o saldo de negociação direta fechou o mês em R$ 4,036 bilhões, o que eleva a soma no acumulado do ano para R$ 18,003 bilhões, novo recorde. Para efeito de comparação, o melhor ano até então era 2003, com entrada líquida de R$ 7,5 bilhões. A presença do estrangeiro explica grande parte da valorização de 8,9% que o Ibovespa acumulou no mês. Vale lembrar também que, no período, o índice passou por cima na resistência que exista na cada dos 55 mil pontos e fez novas máximas para o ano acima dos 61 mil pontos. Intradia, o índice bateu os 62 mil pontos. Esse apetite pelo mercado brasileiro decorre da melhora de humor com relação à economia mundial, que deixou os investidores mais confortáveis em colocar seu dinheiro para trabalhar em ativos de risco.

Soma-se a isso um país que dia a dia ganha evidência internacional por sair da recessão técnica e mostrar um mercado consumidor crescente, apoiado no aumento do emprego e da renda. Durante o mês passado, o não residente efetuou compras no valor de R$ 39,259 bilhões, ou 17,23% de todas as compras feitas na Bovespa. Já as vendas somaram R$ 35,222 bilhões, ou 15,46% de todas essas operações. Além do estrangeiro, as instituições financeiras também contribuíram para o bom desempenho do mês. Geralmente na contramão do investidor externo, essa classe de investidor atuou na ponta de compra durante todo o mês, encerrando setembro com saldo positivo de R$ 2,22 bilhões. Quem deu entrada ao estrangeiro e às instituições financeiras foram as pessoas físicas e os investidores institucionais. Os pequenos investidores encerraram o mês com saldo negativo de R$ 2,99 bilhões. Já os institucionais venderam US$ 2,64 bilhões a mais do que compraram. (Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host