UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

05/10/2009 - 11h56

Amorim diz que tensão em Honduras diminuiu; Lula prefere não comentar

BRUXELAS - Honduras é um assunto sobre o qual o presidente Luiz Inácio Lula da Silva não quer mais falar. Em Bruxelas, ele afirmou que a situação do país agora "é um problema da OEA [Organização dos Estados Americanos] " . "Eu não discuto mais Honduras", ressaltou. Entretanto, o ministro de Relações Exteriores, Celso Amorim, não se recusa a falar sobre o tema e é otimista quanto à situação em Tegucigalpa. "Estamos achando que as coisas estão caminhando no sentido que desejamos." O chanceler espera que, em breve, se possa comprovar que a presença do presidente Zelaya é um fator que contribui para um diálogo a fim de que Honduras "saia daquela estagnação".

Confiante na missão da OEA, que deve enviar esta semana o secretário-geral, José Miguel Insulza, a Honduras, Celso Amorim acredita que há agora um clima melhor para se chegar a uma conclusão. "Todas as coisas que temos ouvido indicam uma disposição de negociação", comentou.

Sobre a situação na embaixada brasileira, Amorim relatou que há tranquilidade, apesar do cerco militar ao prédio, e que conversa todos os dias com funcionários brasileiros que estão lá dentro. Mas disse que o Brasil ainda está alerta: "a atenção não diminuiu, mas a tensão, sim".

Lula participa hoje à tarde do encerramento do seminário empresarial Brasil e Bélgica: Novas Fronteiras de Negócios.

(Agência Brasil)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host