UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

05/10/2009 - 09h35

Começo de pregão pode ser instável na Bovespa

SÃO PAULO - A semana deve começar de forma instável na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa). A indicação vem do mercado futuro, onde o Ibovespa com vencimento em outubro apresenta baixa oscilação. Há pouco, o contrato subia apenas 0,06%, para 61.320 pontos.

Em Wall Street os índices futuros também operam dentro de uma estreita faixa, mas em terreno positivo. O setor financeiro ganhou destaque em função da expectativa positiva quanto aos ganhos trimestrais. Contribuindo, o Goldman Sachs elevou a recomendação os papéis do setor.

Na agenda econômica, atenção para o índice de atividade no setor de serviços dos EUA. No restante da semana, os dados são pouco relevantes, o que mantém o foco no resultado trimestral da Alcoa, que na quarta-feira inaugura a temporada de balanços das empresas listadas no Dow Jones.

Na reunião do G7, que aconteceu na Turquia, o professor Nouriel Roubini, que ganhou notoriedade por prever a crise, disse que os mercados subiram muito e muito rápido. Na sua visão, uma queda no preço das ações e commodities deve ocorrer nos próximos meses, conforme os agentes ajustam expectativas a uma lenta recuperação econômica.

Na Europa, os papéis do setor de mineração garantem leve alta de 0,18%, para FTSE-100, de Londres. Já em Frankfurt, o Xetra-DAX apontava valorização de 0,46%.

No câmbio, o dólar perde para o euro e para o iene. E entre as commodities, o barril de WTI aponta para baixo. Por aqui, a moeda americana começa o dia sob pressão de venda. Há pouco, o dólar comercial valia R$ 1,776 na venda, queda de 0,11%.

Na sexta-feira, o Ibovespa teve um pregão bastante instável, mas descolou de Wall Street e fechou em terreno positivo. A escolha do Rio de Janeiro como sede das Olimpíadas levou alguns investidores a antecipar 2016 e montar posições na Bovespa. Depois de perder a linha dos 60 mil pontos, o índice encerrou o dia com valorização de 1,18%, aos 61.171 pontos. Destaque para o volume financeiro, que somou R$ 6,92 bilhões, indicando atuação de investidores estrangeiros. Na semana, o índice ganhou 1,35%.

Em Wall Street, os índices esboçaram reação, mas a perda de 263 mil postos de trabalho em setembro acabou determinando o rumo do pregão. O Dow Jones perdeu 0,23%, para 9.487 pontos. O S & P 500 recuou 0,45%, para 1.025 pontos. Já o Nasdaq caiu 0,46%, a 2.048 pontos. Na semana, Dow Jones e S & P 500 perderam 1,8%, cada, enquanto o Nasdaq devolveu 2,1%. Na Ásia, a semana começou sem direção única. Seul e Tóquio perderam 0,59% e 2,29%. Já na china, Hong Kong avançou 0,26%. Xangai segue sem operar. (Eduardo Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host