UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

 

06/10/2009 - 10h02

Falências decretadas registram menor nível desde setembro de 2005

SÃO PAULO - Em setembro, 57 empresas decretaram falência no país, o que representa o menor índice desde setembro de 2005, quando a nova lei de falências foi editada. Os dados fazem parte do Indicador Serasa Experian de Falências e Recuperações divulgado hoje.

A categoria de micro e pequenas empresas teve o maior volume de falências decretadas em setembro (50) - 10% inferior aos 55 decretos de falência em agosto e 41,9% abaixo dos 86 decretos registrados em setembro de 2009.

Entre as médias empresas o número de decretos de falência triplicou em um ano, de dois decretos em setembro de 2009 para seis em setembro deste ano. Em agosto, a categoria registrou cinco decretos de falência. As grandes empresas tiveram uma falência decretada este ano, mesmo número verificado em igual período do ano passado, mas abaixo dos três decretos em agosto de 2010.

Os pedidos de falência somaram 192 em setembro, o que representa um recuo de 3,2% sobre os 186 pedidos registrados em agosto e queda de 4,2% ante os 200 requerimentos verificados em setembro de 2009. De acordo com a Serasa Experian, o volume de pedidos de falência em setembro foi o menor desde 2008, considerando o nono mês do ano.

Dos requerimentos de falência, 118 foram feitos por micros e pequenas empresas - abaixo dos 119 verificados em agosto e 7,1% inferior aos 127 pedidos realizados em setembro de 2009. Entre as médias empresas, os requerimentos somaram 44 em setembro, apresentando queda sobre os 46 requerimentos em agosto e alta de 7,3% na comparação com 41 pedidos em igual mês de 2009. Na categoria de grandes companhias houve 30 pedidos de falência em setembro, o que representa alta de 42,8% sobre os 21 pedidos formalizados em agosto, e queda ante os 32 requerimentos verificados em setembro de 2009.

O recuo dos pedidos de falência em setembro reflete "o bom momento econômico, verificado a partir do início do 3º trimestre de 2010", afirmam os economistas da Serasa Experian. Por outro lado, segundo a análise, algumas empresas sofreram o impacto do encarecimento do capital de giro e da política monetária restritiva. "Além disso, as empresas exportadoras ainda encontram dificuldades diante da valorização do real", destacam os especialistas.

A previsão da Serasa Experian é de queda tanto nos pedidos como nos decretos de falência nos próximos meses diante do aumento da atividade no final do ano.

Os pedidos de recuperação judicial somaram 32 em setembro, ante 57 em agosto e 53 em setembro de 2009. No nono mês deste ano foram deferidas 25 solicitações de recuperação judicial e oito foram concedidas.

(Daniela Braun | Valor)
Hospedagem: UOL Host