UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

08/10/2009 - 16h16

Vendas no varejo de São Paulo fecham agosto com alta real de 3,3%

SÃO PAULO - As vendas no varejo da Região Metropolitana de São Paulo tiveram alta real de 3,3% em agosto perante o mesmo mês de 2008, com forte avanço no setor supermercadista. No acumulado dos primeiros oito meses do ano, o faturamento subiu 0,7%. Os dados foram divulgados hoje pela Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP).

Se o destaque positivo do mês foi o setor supermercadista, com alta de 15,4% ante o mesmo mês do ano passado, as vendas no segmento automotivo da região apresentaram baixa de 12,2%, com queda acumulada de 9% no ano. Tal desempenho é justificado em grande parte pela alta base comparativa do período pré-crise de 2008, variável que deverá se inverter a partir de setembro.

Outra alta relevante no período veio do setor de farmácias e perfumarias, cujo faturamento real ampliou-se 15,3%, com crescimento de 11,9% no período de oito meses. No setor de móveis e decorações, o aumento das vendas foi de 1,7% no mês, somando 5,2% de ganho real no ano.

As lojas de eletrônicos e eletrodomésticos registraram pequena recuperação, com faturamento real 1,2% maior no mês. Mesmo assim, no ano a baixa no segmento ainda soma 9,6%. A principal explicação para esse desempenho, segundo a Fecomercio, está na desvalorização do dólar, que amplia a concorrência com importados mais baratos.

Além da baixa no setor automotivo em agosto, também mostrou queda o faturamento do comércio de vestuário, tecidos e calçados, com queda de 0,4%. No período acumulado até agosto, o recuo é de 4,3%. Também nesse caso, a base comparativa é muito elevada, pois o faturamento desse segmento estava subindo a dois dígitos antes da crise no ano passado.

Os incentivos e programas governamentais de estímulo ao setor imobiliário não foram de grande ajuda até o momento para as lojas de material de construção, onde o faturamento real declinou 7,4% em agosto. Na soma dos oito primeiros meses, o recuo é de 7,6%. A expectativa é de que as vendas comecem a reagir com o aumento das vendas de imóveis nos últimos meses do ano.

Nas lojas de departamento as vendas caíram 3,8% em termos reais em agosto, sempre na comparação com o mesmo mês do ano passado. Apesar disso, no ano o faturamento está positivo em 5,9%. Há expectativas de que as vendas de fim de ano também contribuam para melhorar o desempenho do setor em 2009.

(Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host