UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

14/10/2009 - 12h13

DIs revertem alta e marcam estabilidade na BM & F

SÃO PAULO - Os contratos de juros futuros abandonam o viés de alta do começo do pregão e operam próximos da estabilidade na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM & F). Na agenda do dia, os dados sobre o mercado de trabalho confirmam a tendência de recuperação da economia brasileira.

Há pouco, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) para janeiro de 2011 apontava 10,48%, sem alteração, depois de subir a 10,55%. Janeiro de 2012 recuava 0,01 ponto, a 11,51%. Janeiro de 2013 perdia 0,04 ponto, a 11,98%, mas chegou a marcar 12,05%.

Na parte curta da curva, o DI com vencimento em janeiro de 2010 apontava 8,68%, declínio de 0,01 ponto. Julho de 2010 operava estável a 9,36%. Novembro de 2009 devolvia 0,01 ponto, a 8,63%.

Há pouco, os agentes receberem os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) de setembro. Segundo o Ministério do Trabalho, foram criados 252.617 postos formais no mês passado, oitavo mês seguido de crescimento.

Também pelo lado do emprego, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) mostrou crescimento de 0,2% no emprego industrial no mês passado. Na comparação com setembro de 2008, o nível de emprego ainda indica baixa de 8,19%.

Segundo o economista-chefe do Banco Schahin, Sílvio Campos Neto, os dados do Caged foram fortes, sinalizando a recuperação da atividade, mas não surpreenderam e sinal disso é que a curva opera longe das máximas do período da manhã.

De acordo com o economista, como o conjunto de dados domésticos sugere maior ritmo de atividade pela frente, o mercado busca um ponto de início para o aumento da taxa de juro. " E diante dessas incertezas é normal colocar um prêmio, aparentemente excessivo, na curva futura. " Ainda de acordo com Campos Neto, o Comitê de Política Monetária (Copom) não deve mudar de posição da reunião da semana que vem. Permanece a estabilidade da Selic em 8,75% ao ano.

A expectativa recai sobre o comunicado e sobre a ata da reunião, onde o BC pode utilizar o discurso para preparar o mercado para uma alta de juro ou reafirmar a trajetória de estabilidade da taxa básica. Na gestão da dívida pública, o Tesouro realiza leilão para troca de Letras do Tesouro Nacional (LTN) e Letras Financeiras do Tesouro (LFT).

(Eduado Campos | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host