UOL Notícias Economia

BOLSAS

CÂMBIO

14/10/2009 - 16h04

Indústria paulista volta a contratar e Fiesp vê fim da crise

SÃO PAULO - Depois de ter parado de cair em agosto, o nível de emprego da indústria de transformação paulista entrou em trajetória de alta em setembro e deve consolidar, segundo avaliação da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), um quarto trimestre de contratações, descontados efeitos sazonais.

Conforme dados divulgados hoje pela entidade, o nível de emprego no setor industrial de São Paulo aumentou 0,20% em setembro perante o mês de agosto, mês em que o indicador havia ficado estável. É a primeira vez desde agosto do ano passado que o indicador fica positivo. Além disso, é a maior variação de alta desde junho de 2008.

"Neste mês comemoramos não só um número positivo, mas que também é forte e de boa constituição", diz Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas Econômicas (Depecon). Prova disso é que dos 22 setores analisados, 19 contrataram e 1 demitiu, fato que não ocorria há dois anos. Na avaliação do dirigente, como o emprego é um dos últimos quesitos a reagir à piora ou à melhora da economia, a retomada das contratações pode indicar o fim da crise para a indústria, ainda que alguns segmentos exportadores continuem enfrentando problemas com o dólar baixo. "No conjunto das empresas, sim, a crise a está superada", afirmou Francini nesta manhã.

Além disso, para os três meses finais de 2009 a expectativa é de continuidade na geração de empregos, pelo menos em termos ajustados, pois novembro e dezembro são meses em que tradicionalmente o setor produtivo reduz a força de trabalho excedente. Mesmo com a recuperação na reta final do ano, 2009 deve fechar com pelo menos 100 mil empregos a menos. Feitas as contas, Francini destaca que a queda registrada no início deste ano não será compensada com os ganhos de setembro a dezembro. Ainda assim, a Fiesp melhorou a previsão de queda de 7% no nível de emprego no setor e estima agora uma baixa de 5% no ano todo de 2009.

No acumulado dos primeiros nove meses do ano, o nível de emprego aponta baixa de 1,89%, com 43 mil vagas a menos. Em 2008, a baixa foi de 0,27% ante 2007, com 7 mil vagas fechadas. O saldo de setembro comparado ao mesmo mês do ano passado mostra um tombo de 8,19%, com 198 mil postos a menos.

(Bianca Ribeiro | Valor)

Compartilhe:

    Hospedagem: UOL Host